HRDV - Ar

O HRDV agradece a Solange Almeida e Andinho pela doação dos Aparelhos de Ar Condicionado para as enfermarias.

Nesta quinta-feira, dia 06 de dezembro de 2012, às 09:00 horas, o Hospital Regional Darcy Vargas, recebeu a doação dos ares-condicionados, sendo 13 (treze) condensadores e 13 (treze) evaporadores, no valor total de R$42.000,00, incluindo a instalação, realizada por Solange Pereira de Almeida e Anderson Tinoco, que ficaram sensibilizados com o desconforto dos pacientes, diante da ausência da refrigeração nas enfermarias.
A Diretoria do Hospital agradeceu formalmente pela doação e pelo ato de cidadania da prefeita eleita e de seu respectivo vice, que já estão se mobilizando pelo bem-estar da coletividade, antes mesmo de serem empossados nos respectivos cargos para próxima gestão.

Fizeram parte do evento Joaquim Antônio Pacheco Martins (Presidente do HRDV), Leonardo Motta Martins (Procurador do HRDV), Anselmo Ximenes (Médico do quadro do HRDV, atuando na transição na pasta da saúde), Carlos Cordeiro Neto, vereador (Vereador), Solange Pereira de Almeida (Prefeita Eleita), Anderson Tinoco (Vice), e os funcionários do Hospital.

Anderson Tinoco (Vice-Prefeito) ajudando na entrega dos Ares-Condicionados.

Anderson Tinoco (Vice-Prefeito) ajudando na entrega dos Ares-Condicionados.

Nadelson Costa Nogueira Junior

556755_390249034386587_1571697737_a

Solange Pereira de Almeida é homenageada pelo Judiciário no TRT – 1ª Região

A tarde do dia 30 de novembro de 2012 foi de festa para o mais antigo Tribunal Regional do Trabalho do país. A data foi escolhida pela Administração do TRT/RJ para a entrega da medalha da Ordem do Mérito Judiciário que, em solenidade muito concorrida, condecorou autoridades, magistrados, advogados, empresários e profissionais de diversas áreas. A insígnia, instituída em 2004, tem por finalidade agraciar cidadãos que tenham se destacado por suas atividades em prol da Justiça do Trabalho ou prestado relevantes serviços à cultura jurídica e à Justiça do Trabalho, em especial ao TRT/RJ.
O primeiro homenageado da tarde foi o ministro do Supremo Tribunal Federal, Carlos Ayres Brito, seguido dos deputados federais Alessandro Molon, Solange Almeida e Walney da Rocha Carvalho. Outras conhecidas personalidades dos Poderes Judiciário e Executivo também estavam entre os condecorados, como os ministros do Tribunal Superior do Trabalho Renato de Lacerda Paiva e Kátia Magalhães Arruda, e os prefeitos dos municípios de Queimados e Nilópolis, Max Lemos e Sérgio Sessim, respectivamente. Entre os representantes da sociedade civil, personalidades como o arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, e o neurocirurgião e professor Paulo Niemeyer Filho, também foram indicados. E, por fim, mas não menos importantes para a realização diária da Justiça do Trabalho, estavam servidores do TRT/RJ e advogados, que tiveram o reconhecimento por anos e até décadas de dedicação ao judiciário Trabalhista e seus jurisdicionados.

 

SOBRE A ORDEM DO MÉRITO JUDICIÁRIO DO TRT/RJ E SUA MEDALHA

 

A medalha concedida pela Ordem do Mérito Judiciário é constituída de quatro graus – GRÃO-COLAR, GRÃ-CRUZ, GRANDE-OFICIAL E COMENDADOR, cada um deles destinado a determinadas títulos.

Simbolizadas por cruzes de quatro braços vermelhos com as bordas esmaltadas em branco estão as insígnias, acompanhadas das cores oficiais da Ordem: o verde e o amarelo, representando a União Federal; o vermelho, representando a Justiça; e o azul e o branco, representando o Estado do Rio de Janeiro, parte do território nacional, sob a jurisdição do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região.

Já a Ordem do Mérito Judiciário do TRT/RJ possui, como membros natos, os desembargadores federais do Trabalho do TRT/RJ e o procurador-chefe da Procuradoria Regional do Trabalho da 1ª Região, no grau Grã-Cruz. Além disso, integram a Ordem também como membro nato, no grau Comendador, o servidor do Tribunal que exerce a função de Secretário do Tribunal Pleno.

Os cidadãos que foram agraciados com a medalha, em qualquer grau, passam a compor a Ordem do Mérito Judiciário em dois quadros distintos: o ordinário, que possui efetivo limitado e é composto pelos brasileiros natos ou naturalizados; e o especial, que é ilimitado e composto pelas personalidades agraciadas que passarem à inatividade ou que concluírem seus mandatos, assim como os homenageados post mortem.