11402647_914968548544734_1117492423663836546_o

A despedida da Dr.ª Roberta dos Santos Braga Costa e a separação de uma geração

Esse final de tarde, em 29/06/2015, foi marcado pela alegria da reunião de uma equipe de amigos e loucos, que começou sua história no ano 2000, sob a chefia do Escrivão, Fernando Luiz de Abreu Neto, e terminou com a despedida do mesmo, da Dr.ª Roberta dos Santos Braga Costa, que será empossada, amanhã na Vara de Família, Infância e Juventude da Comarca de Maricá, e do seu staff.

Nesses dezesseis anos de trabalho no Poder Judiciário, eu cheguei a pegar a estrada por algum tempo. Mas, entre os investimentos visando o crescimento na carreira e os retornos, eu fiquei mais tempo na 2ª Vara da Comarca de Rio Bonito. Às vezes, nós não queremos ver o óbvio, porque nos apegamos às pessoas, incorporando-as, uma a uma, a nossa família. Entretanto, cada um tem o seu ritmo, seus valores, necessidades e prioridades. Assim, o Fernando optou em acompanhar a Dr.ª Roberta Braga, para gerir seu futuro cartório.

Desde o primeiro contato, a Doutora Roberta se apresentou com a mistura da formalidade do cargo, com a técnica do direito, a simplicidade de uma mãe, a delicadeza e a empatia do espírito, baseada na humildade das suas experiências individuais, que a tornaram a magistrada mais humana que já conheci. O protocolo judiciário não me permitiria expressar maior aproximação, porque, aos olhos da atividade jurisdicional, existe um código comportamental por parte do servidor, que é necessário e precisa ser aplicado, onde tudo possui uma ordem hierárquica no tempo e no espaço. Mesmo assim, me atreverei dizer que ela foi a magistrada mais humana que já conheci, porque, ao longo desses últimos 05 anos, não fui somente uma matrícula, associada aos registros organizacionais, com atribuições definidas. E sei que não falo somente por mim, mas por muitos.

Desde criança, eu tenho o costume de escolher uma estrela e acrescentar o nome daqueles que fizeram a diferença na minha história. O problema é que na noite de hoje, eu terei que escolher uma constelação, porque a magistrada, o escrivão, os secretários e a estagiária irão para uma nova jornada. A migração do comando é algo normal e natural no nosso trabalho. Todavia, as pessoas que considero como amigos estão partindo de um lado, enquanto que outros se aposentaram recentemente, como a Gilza e Jaci. Tem o Luis Celso Nunes, que se aposentará em breve. No final, fica aquela sensação esquisita de que todo mundo está indo embora, enquanto que você ficará para apagar a luz.

Mas, calma. Embora seja raro, eu já senti isso antes, quando a Drª Renata de Souza Vivas de Bragança Pimentel foi promovida. Logo, a Dr.ª Roberta dos Santos Braga Costa veio para mostrar que tudo na vida tem sua hora, enquanto que outros magistrados continuarão a construir a história do judiciário e das pessoas, que lhes serão geridas ou sentenciadas. Acredito que dias melhores virão, desde que cada um faça sua parte na arte da vida.

Quando a saudade apertar, eu terei um novo lugar para visitar os amigos. Todavia, como antiguidade é posto, primeiro, passarei em Alcântara para depois visitar Maricá. Sem dúvida, esse será um dia de muita alegria.

 

Nadelson Costa Nogueira Junior

553012

A diretoria abandonou o HRDV e a sociedade à sorte. Precisamos conversar sobre isso.

https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=1008001442573295&id=491700760870035&notif_t=notify_me_page

https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=1008001442573295&id=491700760870035&notif_t=notify_me_page

Nessa manhã do dia 27/06/2015, como de costume, degusto o café da manhã, lendo os artigos principais da imprensa internacional e a brasileira, no intuito de ver o quanto nossos canais de comunicação estão sincronizados com o mundo e como estão transmitindo a informação. Em suma, enquanto constato o óbvio diário, que é a ausência da transparência na imprensa nacional quanto a propagação e a informação dos fatos relevantes, tanto na economia quanto na vida coletiva, me deparo com a nota do HRDV (Hospital Regional Darcy Vargas), assumindo publicamente que a demissão coletiva ocorreu por parte da atual diretoria e do seu conselho fiscal e deliberativo, enquanto que os mesmos estavam retornando para os preparativos de uma suposta nova eleição.

Diante dos comentários nas rádios fofocas dos corredores da repartições públicas, nos bancos, nas ruas e nas igrejas, fundamentado num arquivo de áudio propagado pelo whtasapp, onde, supostamente, o membro do primeiro escalão da atual diretoria apresentava, a outrem, parte do mecanismo do pedágio nos serviços licitados, a explosão da notícia se fez, quando anunciaram nas redes sociais que a diretoria e parte do seu conselho tinham se demitido coletivamente, deixando a unidade hospitalar sem direção por algumas horas. Assim, juntando as peças do quebra-cabeça da crise na instituição, bem como sua quebra de braço com os governos municipais ao longo dos últimos anos, sendo demonstrado sua recusa em cooperar com seu maior cliente, que é justamente o SUS (Sistema Único de Saúde), cuja participação é de aproximadamente 90% dos serviços prestados, enquanto que seu representante legal, na esfera municipal, é o próprio Município de Rio Bonito, que, no último mandato, tem demonstrado interesse na gestão compartilhada e participativa desde o período eleitoral em 2012.

Como cidadão e pagador compulsório dos impostos diretos e  indiretos, mesmo utilizando os serviços da Agência Nacional de Saúde Suplementar, através do plano de de saúde, eu necessito me manifestar pela solução rápida, mais barata e eficiente para o Hospital e a região que é atendida pelo mesmo. Independentemente de que parte dos fatos supramencionados sejam reais ou não quanto à suposta gravação, a Diretoria e o Conselho do Hospital não tinham o direito de abandonar o Hospital Regional Darcy Vargas por um minuto, sequer, salvo o cumprimento da Lei, o que exigiria a assembleia para a finalidade da proposta, bem como para realizar uma nova eleição. O comportamento coletivo da atual administração, mesmo que tenha ocorrido por horas, demonstrou imaturidade e materializou total irresponsabilidade com a saúde dos riobonitenses, dando poder de voz, com base na razão, ao atual governo municipal, que se encontra sob a gestão da prefeita, Solange Pereira de Almeida.

São necessários dois tubos para transfusão do sangue. O problema é que só tinham um.

São necessários dois tubos para transfusão do sangue. O problema é que só tinham um.

No dia 25/06/2015, meu pai estava internado no Hospital Regional Darcy Vargas, enquanto que era evidente que a casa estava funcionando, mobilizada pelo amor e dedicação dos colaboradores médicos, enfermeiros e administrativos. A verdade é que meu pai precisava fazer a transfusão de sangue, sendo amparado pelo seu plano de saúde para tal ato. Ele foi internado no quarto 211 às 14:00 horas e só saiu no dia seguinte, porque só tinha um tubo para o recolhimento do material sanguíneo, enquanto que era necessário um segundo tubo para o banco de sangue. Eu vi o Dr. Anselmo Ximenes, médico, funcionário da casa e atual secretário de sáude municipal, mobilizar o máximo de esforços para manter a instituição funcionando, enquanto que o a diretoria se mantinha desligada das suas obrigações e responsabilidades. Inclusive, a data em questão foi marcada pela presença da prefeita e de parte dos vereadores no Hospital à noite, enquanto estava aguardando a chegada dos tubos e do sangue para a materialização da transfusão de sangue.

A verdade é que os riobonitenses precisam conversar sobre o HRDV, porque sua diretoria foi negligente e irresponsável, enquanto que o meu pai poderia ter falecido por causa da ausência de um tubo de coleta de sangue.

Não vou fazer sensacionalismo com a situação. O momento não é para isso, mas para solucionarmos o problema. Espero que o áudio que está rodando pela cidade seja falso, e que a ética e a justiça sejam aplicadas na dose certa, principalmente, quanto ao abandono de horas, que a diretoria aplicou de forma inapropriada e irresponsável.

 

Nadelson Costa Nogueira Junior

transfusao-sangue

A transfusão de sangue do meu pai demonstrou que o caminho para HRDV é a gestão compartilhada com o governo

São necessários dois tubos para transfusão do sangue. O problema é que só tinha um.

São necessários dois tubos para transfusão do sangue. O problema é que só tinha um.

Meu pai está no tratamento contra o câncer, há 03 (três) anos. Ele precisa, de 10 (dez) em 10 (dez) dias, fazer a hidratação e a transfusão de sangue. Como o indicado é que o paciente se desgaste fisicamente, o mínimo possível, para poupar forças, visando o restante do tratamento. Ontem, no dia 25/06/15, as 14:00 h, meu pai foi internado no HRDV (Hospital Regional Darcy Vargas), objetivando a transfusão de sangue, cuja ação obteve êxito as 23:22h do mesmo dia. Logo, quando todos esperariam um complexo conjunto de críticas, diante da situação da instituição perante a mídia e a sociedade, eu farei justamente o contrário, elogiando ao Hospital Regional Darcy Vargas, através da luta do médico plantonista, que estava se virando entre os quartos particulares, enfermarias e o pronto – socorro, no intuito de cumprir seu juramento. Gostaria de elogiar a atenção e a dedicação da equipe do hospital, que está tentando manter os trabalhos com eficiência, mesmo diante dos atuais desafios na  manutenção dos materiais. Gostaria de agradecer ao Dr. Anselmo Ximenes pelo cuidado que foi dado ao meu pai na parte do material necessário e a Prefeita, Solange Pereira de Almeida, que, da sua forma, esta tentando amenizar os efeitos na saúde do hospital nesse exato momento.
Ontem, no desespero de muitos, eu pude ver a solidariedade entre a equipe dos funcionários do hospital e o governo. Logo, minhas palavras não deverão ser vistas como tom de crítica, mas de agradecimento e esperança de que dias melhores virão e ja são possíveis, quando as partes abdicam da vaidade em nome da caridade e do bem comum da sociedade.

Até hoje, não consegui entender os motivos da diretoria do hospital não conseguir trabalhar em parceria com seu maior cliente, que é o SUS, representado pelo Governo Municipal, visando a gestão compartilhada. Também não compreendo a ausência da transparência do governo. E assim, as coisas se confundem, enquanto que as soluções nunca são alcançadas, porque a vaidade de um lado não pode ficar por baixo da vaidade do outro, tanto nos erros quanto nos acertos; mas, principalmente, nos erros.

Antes que digam que sou dúbio, preciso deixar bem claro que as críticas, no Café Poético e Filosófico e nas redes sociais, nunca foram pessoais, enquanto que tenho a obrigação de ser justo, mesmo quando não tenho o mesmo tratamento como resposta. As ações do meu próximo não podem comprometer as minhas.

 

Nadelson Costa Nogueira Junior.

assédio-sexual-e1456516793355

Investir na ética e na transparência são atitudes importantes no combate ao assédio moral e sexual nas empresas

Assédio Moral e SexualQuando o assunto é a transparência e o combate ao assédio moral e sexual, a organização precisa estar com sua alta administração alinhada ao Plano do RH (Recursos Humanos) e ao Planejamento Estratégico, visando a missão, os objetivos e a visão da empresa no futuro. Junto com o pacote, a mesma alta administração precisa constituir um código de ética, visando conscientizar e gerar uma cultura organizacional preventiva, utilizando seu departamento de RH ou um coaching (consultor / Treinador), inteirando os gestores e todos os colaboradores no processo, focalizando a transparência em todos os atos colaborativos e corporativos.

Após a construção do códio de ética e sua incorporação à culutra organizacional, o departamento de RH poderá acompanhar o clima organizacional através das avaliações de desempenho, que são contínuas, ou da instituição das ferramentas da comunicação organizacional, visando um caminho mais direto e objetivo, tratando dos tema central, que é o assédio moral e sexual, criando uma OUVIDORIA, cuja base deverá, também, estar inserida no código de ética da empresa.

Precisamos compreender que tanto o assédio moral quanto sexual acontecem, porque o ambiente organizacional e a cultura da empresa assim o permitem. Uma vez, estabelecidas as regras e a uniformidade dos padrões, sendo divulgadas e esclarecidas  aos colaboradores, desde do operacional até o estratégico, tais patologias sistêmcias tenderão a diminuir ou desaparecer do universo organizacional, desde que as coisas realmente funcionem. Assim sendo, no final, tanto a organização quanto os colaboradores ganham, com a intensificação de um ambiente de trabalho com qualidade de vida, que propicia a produtividade, além de vincular valor à imagem da empresa dentro do mercado de trabalho, que se reverte na retenção do talentos.

Antropologicamente, o exemplo gera exemplo, enquanto que a transparência gera uma cultura transparente e produtiva.

No final, empresas éticas são mais humanas, mais ativas na sociedade, se preocupam com as condições de trabalho, e se preocupam com a opinião dos seus colaboradores. Logo, um chefe praticante do assédio moral e sexual é mais letal para a empresa que trabalha do que para sua carreira em si, porque, em ambos os casos, as máculas ficarão associadas à imagem corporativa, podendo afetar a produtividade, o mercado consumidor, dependendo da amplitude do problema, além de gerar gastos com advogados, honorários e indenizações. Portanto, a construção de um código de ética é tão importante e necessário para uma empresa, quanto as avaliações de desempenho e a transparência na comunicação empresarial interna e externa. Assim sendo, é correto afirmar que a transparência organizacional exige a empatia e a capacidade do gestor em dar voz aos colaboradores, além de criar canais de comunicação para que sejam apresentadas críticas, sugestões inovadoras aos processos e rotinas, ou para combater a prática do assédio. Em suma, é preciso saber escutar, dialogar para depois executar ações ou materializar ideias.

 

Nadelson Costa Nogueira Junior

logo561-250x100

O Rio Bonito Empregos migrará para www.nadelson.com.br

logo561-250x100Enquanto o Município de Rio Bonito gerir pessoas, ignorando suas competências, nossa cidade, o governo e a sociedade riobonitenses estarão fadados ao fracasso social, com a maioria escravizada ou desempregada de um lado, e uma minoria com muito dinheiro concentrado do outro.

A verdade é que a economia nacional não estava boa há bastante tempo. Sua estabilidade estava condicionada à injeção artificial de divisas por parte do governo, induzindo a balança comercial ao superavit. O problema é que a fórmula não funcionaria para sempre e não funcionou.

Viver no Brasil ficou caro, principalmente no sudeste. Rio Bonito, que já era considerada uma cidade com o valor imobiliário elevado, acabou sofrendo aumentos astronômicos nos aluguéis e na venda, contrariando, da mesma forma que o governo federal, as regras básicas da economia. Mas, nesse último caso, cada um pede o valor que quiser no imóvel, enquanto que pagará quem quiser ou puder, tanto no aluguél quanto na compra.

Poucos empregos surgiram realmente em nossa cidade nos últimos 05 anos. A maioria é em caráter temporário, tendo em vista que o setor da construção civil tem uma data prevista para o início e o fim dos empreendimentos.

O futuro da economia brasileira está no empreendedorismo e na empregabilidade. Mas, qual será o futuro da economia riobonitense, tendo em vista que os currículos são validados pelos nomes dos políticos que os indicam, enquanto que o comércio e a própria indústria idolatram tais iniciativas culturais?

logoNos últimos 02 anos, tenho desenvolvido o sistema de banco de empregos gratuito, visando ajudar a cidade e a região. Em nenhum momento eu pedi dinheiro ou verba ao atual governo. Muito pelo contrário, ofereci os serviços de forma gratuita para ajudar aos setores e a sociedade. Conforme os serviços de informação nos corredores da prefeitura, existe uma sala em Rio Bonito, com mais de 12.000 currículos, que foram literalmente esquecidos, oriundos do período da campanha eleitoral em 2012. Depois das tentativas de aproximação, visando ajudar a cidade, eu desisti, tendo em vista que os políticos não possuem estrutura, tempo e capacidade para materializarem os projetos necessários no setor do trabalho. Assim, venho, mais uma vez, pedir ao empresário riobonitense que cadastre suas vagas de emprego no www.rbempregos.com.br, enquanto que os candidatos façam o mesmo com seus respectivos currículos. Simplesmente, minha proposta é quebrar essa política do apadrinhamento de um lado, além de apresentar novas propostas de consultoria no futuro, visando o recrutamento e o desenvolvimento dos colaboradores nas empresas da nossa cidade.

Por fim, o sistema do Rio Bonito Empregos será migrado para o projeto Café Poético e Filosófico (www.nadelson.com.br), visando agregar valor e conteúdo ao banco de empregos. Peço desculpas pelo transtorno, mas a estratégia será necessária, principalmente, por causa da pouca quantidade de empregos que a cidade de Rio Bonito disponibiliza, para não dizer nula. A verdade é que consegui maior participação das empresas parceiras no setor do RH (Recursos Humanos) no Rio de Janeiro, Macaé e Niterói, enquanto que em Rio Bonito não obtive qualquer resposta por parte do comércio e da indústria local. Acho que eu deveria ter tirado a palavra GRATUITO do projeto. Todavia, não permitirei que esses pequenos obstáculos me desviem dos objetivos traçados há alguns anos, visando a CARIDADE e PROSPERIDADE da cidade, que meu pai escolheu para minha família como casa, pelos grilhões da afetividade.

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior

 

 

transparencia-730x410

O CMDCA de Rio Bonito demonstra TRANSPARÊNCIA nos seus atos e conflitos com a gestão pública

11402876_1523701057948081_2712605128475954156_o“Prezados(as),
O CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente) de Rio Bonito vem alcançando, cada vez mais, visibilidade em nossa cidade, e naturalmente, uma das consequências é o aumento das solicitações de informação à respeito de nossas responsabilidades e de nossas ações.
Ocorre que há alguns meses, o Conselho vem se empenhando em regularizar o Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, responsável por financiar Programas e Projetos, devidamente estruturados, que atendam crianças e adolescentes. Lembrando que a Prefeitura Municipal é a responsável pelos trâmites burocráticos no processo de regulamentação. Por conta disso vimos sendo muito questionados sobre os desdobramentos em relação a este fato. Isto posto, resolvi enviar uma cópia do ofício encaminhado à Chefia de Gabinete, Secretaria de Planejamento e Ministério Público, para que todos tenham ciência e possam nos ajudar na elucidação dos fatos.

Atenciosamente,”

Jorge Wallace Bretas
Presidente do CMDCA – Rio Bonito

leitura

A Vagina Virtuosa

Rio Bonito, 25 de março de 2005.

Uma imagem que demonstra virtude e busca pelo conhecimento.

Uma imagem que demonstra virtude e busca pelo conhecimento.

Quando comecei a escrever o livro “A Busca”, eu não tinha a menor idéia de onde iria chegar ou o que alcançar.   Simplesmente, fui escrevendo aquilo que via, ouvia e sentia dentro do peito.  A questão mais importante é que agora, olhando para a obra pronta e quase acabada, sinto que amadureci minha escrita, meus valores e objetivos.   Eu sei que minha escrita poder-se-á ficar esquecida por um longo tempo, mas, chegará o dia em que seu conteúdo será revelado ao mundo, como um conhecimento que se anunciará, por si,  pela interpretação e abstração dos leitores.

Lembro-me duma noite destas em que eu andava de carro, sem destino, com mais duas amigas.  A cidade estava totalmente sem luz, enquanto que chovia bravamente.  Mas, nossas almas carentes necessitavam conversar.   Logo, enquanto eu dirigia, conversarmos sobre tudo, até o momento em que o assunto se focalizou na maçonaria e naquilo que eu procurava numa mulher.  Lembro-me, ainda, que estava divagando e dizendo que gostaria de encontrar uma mulher que gostasse de receber flores, de passear no parque, tomar sorvete, e que fosse dedicada aos seus valores familiares.   Eu dizia também que a religião não faria a menor diferencia, desde de que houvesse o respeito mútuo.  Sei que, após minutos discursando sobre a mulher ideal, uma das minhas amigas se virou e retrucou: – Nada disso tem valor, se não rolar a química ou sexo.   Eu fiquei aproximadamente uns dez minutos pensando naquilo.  Minha outra amiga, que estava no banco de trás, havia me perguntado por quê eu estava tão calado.  Foi quando, pela primeira vez, eu havia alcançado uma conclusão tosca, mas objetiva: Eu não estava procurando a mulher ideal, mas sim, a vagina virtuosa – o órgão sexual que carrega, consigo, as propriedades da mulher amiga, dedica à família e aos seus valores.  Sem dúvida alguma, nada daquilo dito antes teria qualquer sentido sem a satisfação sexual.

Todavia, o questionamento continuou a se propagar pelo silencio da minha alma durante dias e noites, pois, eu havia materializado o foco da mulher ideal.   Entretanto, já era muito difícil para eu me relacionar com pessoas conhecidas…  Imagine, então, como poderia tratar as mulheres da minha vida como vaginas!  A conversa daquela noite foi mui importante para mim, tendo em vista que tive a certeza de que gosto de discutir relação e de conversar sobre tudo com minha namorada.  Eu prefiro desnudar a alma da mulher numa conversa, do que lhe arrancar a roupa no primeiro encontro.  Eu prefiro idealizar o para sempre, a satisfazer-me sexualmente por um único instante.   Descobri, naquela noite, que não sou um namorado canalha, e sim, um amigo; pois, nenhum relacionamento terá futuro, sem se basear no princípio da amizade e da cumplicidade…  Talvez seja por tal motivo que a maioria dos meus amigos de infância tenham se separado.

Por fim, acho que a maioria dos homens procuram vaginas, enquanto que, com a maturidade, caso aconteça, se preocuparão com as virtudes.

 

Nadelson Costa Nogueira Junior

 

familia-algo-que-nao-vem-do-homem.html

A única regra natural é a divindade da família

Um bom dia, boa tarde ou boa noite. Não importa o horário ou o dia.

Desejo que o seu domingo e o restante da sua vida sejam repletos de alegrias e que possas compartilha – las na plenitude, com sua famíla. Todavia, se você estiver num momento de tristeza e reflexão, mão se deixes abater pelos problemas do mundo, e viva, se possível, no seio e na plenitude da sua família.
Lembrem – se que, na vida material, quase tudo passa e as poucas amizades persistem, sem quaisquer interesses. Mas, é na família que começa e termina o porto seguro. Isso acontece por causa do amor, do afeto e da busca pela compreensão dos conflitos naturais.
Existe um motivo da família ser uma obrigação e ter a falsa idéia de que é optativo ao ser humano, tendo em vista que, se não fosse assim, agiriamos como a maioria dos animais, quando o assunto se torna tema da separação natural das gerações, ora pelas oportunidades, ora pelas imposições, ora pela própria vida ou pela morte.
No mais, meu caro leitor: – Ame. Abrace seus pais, beije seus irmãos, converse e brinque com os mais velhos. Seja fiel e educado com seu próximo, mesmo quando o mesmo o ignora ou não lhe demonstre importância. Retribua ao mundo sua existência, com carinho, afeto e amor. No final, verás o milagre acontecer diante dos seus olhos, sem a necessidade dos livros de autoajuda, das escolas, das universidades, com seus doutores e livros técnicos, porque a família e seus valores são 0  início e  o fim das coisas. Ela é divina e deve ser honrada, principalmente diante dos horrores evidentes no mundo.

Terminarei, afirmando que não tenho dúvida da existência de Deus, bem como que o mundo está muito melhor do aparenta ser. O problema é que o bem está trabalhando calado, enquanto que a caridade não deve fazar propaganda para aparecer. E, como a luz do sol que te aquece todos os dias, independentemente da sua ou da minha vontade, o calor do bem e da caridade se manifestam as 24 horas do dia, nos 07 dias da semana, todos os anos das nossas vidas, através dos valores, emoções, sentimentos e atitudes que recebemos e retribuímos. Logo, lembre-se que o mundo não está doente, mas considerável parte da humanidade.

Afastar-se da família e da compreensão da caridade, é o mesmo que se afastar da própria humanidade e do princípio divino de que tudo tem seu momento certo, tanto no tempo quanto no espaço, com profundidade, gravidade e responsabilidade.

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior:.

Rita

Os professores venceram a batalha, mas a guerra continua com o governo

Numa atitude surpreendente e baseada num parecer apresentado pela vereadora, Rita de Cássia (PP), que preside a Comissão de Educação da Câmara de Vereadores; o presidente da Casa, vereador Reginaldo Ferreira Dutra, o Reis (PMDB); anunciou na sessão dessa quinta-feira (18/06), que a Lei nº 30, aprovada pelos edis em seção realizada no último dia 19 de maio, será promulgada pelo Legislativo. A Lei oferece benefícios para os profissionais de Educação, mas foi parcialmente vetada pelo poder Executivo.” Flávio Azevedo, Jornal O Tempo.

 

e784bceb2b2e48898809378c76470d2a-08072009-83848_640_maxAnalisando o impacto que a Lei nº30 terá sobre a folha de pagamento do Município de Rio Bonito, diminuindo, consideravelmente, o poder político e financeiro do governo, o que não é algo bem visto às vésperas do ano eleitoral. Possivelmente, num movimento estratégico quanto aos 150 professores, que estavam aguardando as mudanças na carreira e nos salários para se aposentarem, o IPREVIRB (Instituto da Previdência dos Servidores Municipais de Rio Bonito) questionará a legitimidade da Lei supramencionada na justiça, desfragmentando, assim, a luta do SEPE e de toda a categoria dos profissionais da educação em, no mínimo, 150 processos trabalhistas e/ou previdênciários. O fundamento da alegação será bem simples: – O servidor não contribuiu durante o tempo de serviço no valor definido na Lei. Outrossim, cabe atentar ao leitor que a previdência social basea-se no princípio da SOLIDARIEDADE, logo, por analogia à Constituição Federal Brasileira e às Leis Federais e Estaduais, os profssionais da educação teriam o direito legitimado para a aposentadoria nos termos da Lei nº 30. Mas, a argumentação não se limitará ao quesito do valor da contribuição e o tempo, sendo-lhe acrescentado o fato de que o instituto não terá dinheiro para arcar com tais despesas, sem comprometer àquelas já existentes. Em suma, a luta do SEPE e dos professores teve uma etapa vencida, e terá que se articular e muito para que as demais sejam superadas.

aposentadoriaO pior disso tudo é que o governo, oficialmente, não terá vínculo com as consequências dos atos previstos, tendo em vista que o IPREVIRB é uma autarquia, enquanto que o pano de fundo servirá como alimento político quanto à manutenção do instituto durante os governos anteriores. E é claro que a Prefeita, Solange Pereira de Almeida, terá uma amnésia quanto às responsabilidades relacionadas a gestão no período compreendido entre 1997 a 2004.

Espero estar errado. Mas, a lógica das reuniões com os diretores das escolas e a forma como as imposições foram conduzidas, demonstram tais tendências ditatoriais, quanto ao assunto. Todavia, a demanda, que será gerada pelas possíveis contendas judiciárias, trarão mais energia ao mercado de trabalho jurídico riobonitense. Logo, a tristeza de alguns é, automaticamente, a alegria de outros nas relações contratuais.

 

Nadelson Costa Nogueira Junior

622273-293633-14

O CHI KUN, a energia vital e a respiração

 

João Neves da Fontoura Direne, professor de CHI KUN..

João Neves da Fontoura Direne, professor de CHI KUN.

“A prática do CHI KUN ensina os órgãos internos a se abrirem e a aprenderem a respirar. A respiração não está limitada aos pulmões; o fígado, o baço e os rins também respiram de uma forma sutil, percebida como uma pulsação regular e diferente, acontecendo dentro do corpo de uma forma energética e física. Este método de respiração Chi, concentra-se na expiração que relaxa, limpa e liberta.
Quando falamos sobre a respiração precisamos distinguir entre a respiração interna e a externa. A respiração externa é o nível físico de oxigênio que entra e sai dos pulmões. Mas atrás deste movimento de ar que entra e sai do corpo se esconde uma pergunta: quem ou o quê controla o movimento no processo da respiração? Algo causa o movimento dos pulmões. Chamar isto de “sistema nervoso autômato do corpo” não responde a esta questão, apenas esconde o problema debaixo do tapete. Há uma espécie de inteligência atuando no processo de respirar que estamos interessados em conhecer. Temos interesse em saber: Como esta inteligência funciona? Como ela decide quando e como devemos respirar? As respostas a estas perguntas nos levam a muitas outras questões sobre energias sutis e espirituais. O estudo e a prática do Chi Kun pode nos trazer respostas profundas. É preciso SENTIR.”

Por João Neves da Fontoura Direne