tecnicas_de_interrogatorio_policial

Câmara Municipal fez um show para a opinião pública, com direito a flores e aplausos

A Sessão da Câmara Municipal de Rio Bonito realizada nesta quinta-feira (16/02/2017) foi luta de boxe sem luva em cima dos secretários de administração e saúde, uma vez que, independentemente dos motivos, os vereadores entraram massacrando em relação ao ponto dos comissionados e a validade, tanto dos atos quanto dos pagamentos realizados, tendo em vista o paradoxo existente entre o decreto da calamidade financeira e a manutenção dos pagamentos executados até o momento.

Faz tempo que não vejo uma sessão tão sofisticada na interpretação dos personagens. Os vereadores vestiram a camisa da fiscalização do Poder Executivo, fazendo questão de afirmar que estão acompanhando a opinião pública, contrariando a votação para a presidência da casa, que também teve seus momentos de exaltação do ego, diante dos elogios por parte dos vereadores.

Bem… Depois de 46 dias do governo, o vereador Humberto Belgues conseguiu definir a dívida herdada do Município, quando questionou o contador, apresentando o quantum de R$55 milhões, que se tornam R$71 milhões com os pagamentos futuros de outras despesas, que ainda não foram vencidas, o que materializa o erro do sensacionalismo em majorar o rombo em R$16 milhões, que deverão ser pagos no momento certo ou oportuno no futuro, conforme as regras da contabilidade brasileira.  A conta só se torna uma obrigação após a data do vencimento.

Por fim, quero ver os vereadores incorporarem os personagens preocupados com a opinião pública, fiscalizando o Poder Executivo e aplicando as responsabilidades. Espero que o Poder Legislativo execute seu papel com maestria e brilho. Também espero que o Poder Executivo pare de ficar potencializando a dívida, pagando os salários atrasados dos servidores e contratados, com a máxima urgência. A prioridade não é fazer carnaval e festa, mas colocar as contas em dia, começando pelos salários e o 13º.

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior

Comentários