11154588_911922722203555_6147604384265877936_o

EDUCAÇÃO RIOBONITENSE: – JUNTOS SOMOS MAIS FORTES.

“Bom, a dias estou para comentar algumas reportagens que saíram no Jornal o Folha da Terra do dia 09/05/2015. Primeiramente quero falar da coluna de Victor Hugo Ximenes que muito bem escreveu sobre as condições gerais do País referentes a outras greves que andam acontecendo e que com um olhar humano/jornalístico captou a atual conjuntura da Educação do Município de Rio Bonito e a não valorização dos Profissionais de Educação. 
Nós professores sabemos o poder que temos, mas durante anos estivemos adormecidos, pois sempre acreditamos nos políticos, que algo seria feio no mês tal, no ano tal… e assim, passaram-se em média 2 décadas e agora despertamos. 
Esse despertar não se trata de questões políticas partidárias, mas se trata de direitos que vem sendo negados durante essas décadas. Se permanecêssemos em questões Partidárias continuaríamos a ver navios (ainda estamos, pois nada foi publicado ainda).
Nós funcionários públicos não podemos estar em Partido, pois, fomos concursados para o município independentemente do Partido que estiver atuando. Quando as pessoas pararem de querer tirar proveito da situação aí sim teremos um Brasil mais justo.
Mas, não é sobre isso que quero falar, quero dizer que hoje os Profissionais de Educação que agora entendem que devemos buscar nossos direitos e que o SEPE é apartidário e está buscando o direito de todos, estamos tendo um retorno significativo e positivo tanto na participação da maioria dos profissionais quanto em algumas conquistas que estamos começando a ter. JUNTOS SOMOS MAIS FORTES!
O que me deixou novamente entristecida, além do fato do cancelamento do Desfile Cívico, foi a leitura da reportagem na página 3, deste mesmo jornal, com o título: “Câmara dos vereadores homenageia personalidades com títulos de cidadania” que diz em seu segundo parágrafo: “Em meio a onda de protesto que tomou conta do Município nos últimos dias, o clima antes do início da Cerimônia era de apreensão. A expectativa era que o sindicato dos Profissionais de Educação (SEPE) realizasse nova manifestação já que todas as autoridades do Município estariam reunidas no local. Possibilidade que não se confirmou para alívio dos organizadores.” 
É triste ler algo assim e saber que consideram os Profissionais de Educação como desordeiros e que a nossa não participação causou alívio. Não dá para entender se na Câmara dos Vereadores, na Sessão que antecedeu o dia 7 de maio, os próprios Vereadores convidaram a todos nós a estar presentes nesta homenagem. 
Mais uma vez fomos considerados como desordeiros! Na página 6 deste mesmo jornal, foi publicado uma Nota Oficial “Prefeitura de RB suspende o desfile cívico devido a greve do SEPE”, a impossibilidade de se fazer o desfile foi por causa da greve dos profissionais, devido a garantir a segurança dos alunos. Como assim? 
A prefeitura poderia ter realizado o Desfile somente com as Bandeiras, representação das escolas, assim os profissionais que não aderiram a greve por diversos motivos (por medo, por fazer extra, por ser governo, por ser cargo de confiança, por ser permutado, entre outros motivos) poderiam trazer, sem problema algum, essa representatividade de cada escola para o desfile. As escolas particulares também poderiam ter desfilado sem prejuízo algum.
Jogaram a culpa em nós os Profissionais de Educação, isso é um absurdo! Mas a população sabe onde está a verdade!
Quando no segundo parágrafo afirma que mantiveram o diálogo com o SEPE, ninguém disse o contrário, mas esse diálogo foi estabelecido mediante nossas paralisações e nos momentos de diálogo não estavam atendendo o que a categoria estava reivindicando. 
Realmente foi feita a leitura do Projeto de Lei 30/2015 no dia 05 de maio, conforme está escrito na reportagem, mas esse projeto de Lei, segundo a Prefeita iria para a Câmara no dia 30/04, no mesmo dia que realizamos a Assembleia na própria Câmara dos Vereadores as 14 hs. Até as 16 hs não havia chegado nada na Câmara e não estava previsto na ORDEM DO DIA a leitura do projeto, então, foi aprovada a GREVE a partir do dia 07/05.
Na reportagem a Prefeitura confirma que tem atendido as reivindicações gradativamente, de acordo com as possibilidades. Ora, direito é algo que não deve ser recebido diante de possibilidades. Direito é algo garantido por Lei, não estamos pedindo aumento e sim o que é nosso de Direito, então, se formos receber o Piso Nacional e se o funcionalismo parar de receber menos de um salário mínimo não é mérito de nenhum político e sim é um Direito de recebermos. E se realmente for publicado foi porque LUTAMOS pelos nossos direitos!
É citado nesta mesma reportagem as coisas que já foram feitas pela prefeitura e tudo que foi feito é o DEVER de todo governante fazer, não é favor algum! Ficamos felizes? Simmmm! Mas é o DEVER da Prefeitura fazer!
Basta! Temos que parar com essa história o prefeito tal fez isso, prefeita tal fez aquilo… Não fizeram mais que a obrigação. Nossos votos não podem ser comprados pelo o que foi feito pelo Município!
Finalizo com as palavras de Pe Dudu, na página 2, deste mesmo jornal “Aquilo que pesa mais do que tudo isso é a falta de amor.” 
Falta amor para com os outros, falta respeito, falta afeto!”

Por Renata Siqueira Teixeira Borba

Professora Pública

Comentários