16508239_1438443069561213_4927082162184434566_n

Mandiocão faz o repasse parcial dos atrasados para o HRDV, que ainda continua no vermelho

16682020_1303648886347577_7022683996543563300_nDesde 2011, quando o prefeito da época era o Mandiocão, o Hospital Regional Darcy Vargas vem sofrendo com o atraso nos repasses do governo federal e na contrapartida da PMRB com seus recursos próprios, o que colocou o HRDV no centro da Eleição Municipal em 2012, transformando-lhe num dos indicadores principais para a tendência de voto por parte da população.

Na visão dos gestores do HRDV, a instituição se encontra no desequilíbrio financeiro pelo simples fato da tabela do SUS estar desatualizada, obrigando o hospital a ganhar na quantidade, até que o Ministério da Saúde começou a estabelecer quotas de demanda, numa área que o gestor hospitalar e o médico não podem pedir aos doentes para aguardarem a virada do mês para serem atendidos. Assim, em nome da natureza filantrópica, o HRDV cresceu no tamanho e na especialização, fechando suas contas no vermelho em função dos atrasos, da não correção da tabela do SUS, do limite de quotas por parte do governo e dos empréstimos, oriundos ao longo das administrações, vislumbrando a manutenção dos investimentos e dos lapsos temporais provocados pelos atrasos nos repasses por parte do Município de Rio Bonito, através da secretaria municipal de saúde.

Na visão dos prefeitos, o HRDV está com problemas financeiros em função das falhas na gestão da instituição filantrópica, cujos 80% da sua receita são oriundos diretamente dos cofres públicos. Assim, ao longo da última década, a diretoria do hospital e os prefeitos criaram o ciclo vicioso de ora trabalharem juntos, até que os custos aumentam, exigindo mais investimento público, provocando o rompimento, que termina nos atrasos supramencionados.

16508884_1303648889680910_913562333499976825_nNa última sexta-feira (10/02/17), o prefeito, José Luiz Alves Antunes (Mandiocão), cumpriu os trâmites legais para materializar o pagamento do quantum de R$710.391,39 ao HRDV, sendo R$180.000 referente aos débitos do governo estadual com a oncologia; R$55.000,00 referente aos débitos atuais com a oncologia; R$436.000,00 referente à manutenção da emergência no mês de dezembro de 2016, faltando o mês de janeiro, da parte do atual governo, para colocar sua dívida em dia com o Hospital. Todavia, o governo anterior deixou de pagar os meses de outubro e novembro de 2016, referente aos recursos próprios, que totalizam R$1,3 milhão, somados ao mês de janeiro de 2017.

Por fim, a atual administração do HRDV está aguardando o pagamento dos valores restantes para quitar os débitos financeiros com seus funcionários, o que demonstra o fato de que a instituição não está fazendo reservas ou o planejamento estratégico e financeiro, operando ainda no vermelho. Por outro lado, diante do montante mensal do capital público investido no hospital, é notória a necessidade da gestão compartilhada ou da auditoria contínua, objetivando racionalizar os serviços e estabilizar suas contas, revertendo a energia na melhoria no pronto de socorro e no atendimento médico-hospitalar.

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior

Comentários