houseofcards

O impeachment e a crise econômica denunciam a inversão dos valores

1920379_1398964327032033_2132887100_nO governo, na jurisdição federal, estadual e municipal, está com o discurso sincronizado de que a receita despencou em função dos royalties do petróleo e da queda proporcional nos demais impostos e tributos, tendo em vista que elevaram as alíquotas e induziram o valor do dólar entre os R$3,75 a R$4,00. Mas o padrão financeiro e econômico do cidadão e do contribuinte continua o mesmo. Em suma, o consumidor diminui os gastos e o consumo das coisas supérfluas para que sua conta bancária fique nula ou positiva no final do mês. Todavia, o governo assume que está no vermelho, não faz economia alguma, mantendo as obras sem sentido, os cargos comissionados e as regalias dos políticos, preocupando-se em pagar os fornecedores, mas ignorando a primeira obrigação, que é o pagamento do salário dos servidores públicos e cumprimento da Constituição quanto à Educação e a Saúde.

Literalmente, vivemos uma inversão dos valores,  que se materializa no fato de que o Eduardo Cunha, atual presidente da Câmara dos Deputados pelo PMDB, recebeu um dos dez pedidos de impeachment da presidente Dilma Rousseff, quando o mesmo foi apertando na parede pela imprensa nacional e internacional, preenchendo todos os quesitos inquestionáveis do impeachment, enquanto que o governo e o PT negaram-lhe apoio na manutenção do cargo.

Embora pareça ser brincadeira, a coisa está séria em Brasília, enquanto que tem muita gente comemorando o fato na sociedade brasileira, nesse exato momento. Se a Presidente Dilma sofrer o impeachment, o cargo será assumido pelo vice-presidente, Michel Temer, do PMDB, que não recebeu um voto, sequer, para assumir o cargo, configurando a ficção da série House of Cards da NETFLIX. Ao contrário do protagonista da série, Temer já faz parte do partido do centro tanto na Câmara dos Deputados, quanto no Senado, cuja presidência está nas mãos do senador, Renan Calheiros, que, da mesma forma que a Câmara, está sob os domínios do PMDB. Mas, a coisa não ficaria somente por ai, tendo em vista que o PMDB é o partido que possui o maior número dos Governadores nos Estados Federativos, enquanto que o Eduardo Cunha demonstra ter apetite pelo poder e foco na faixa presidencial e no Palácio do Planalto. Em suma, na virada desesperada da mesa, com o apoio público do Aécio Neves,  o atual presidente da Câmara dos Deputados já está sendo visto como herói para àqueles que ficaram insatisfeitos com o resultado nas urnas em 2014.

Muitos estranharão a análise política e estratégica da situação, caso a presidente Dilma Rousseff sofra o impeachment. Todavia, num cenário sem heróis ou personalidades, o Eduardo Cunha já entrou para a história, através da publicidade do ato. A materialização do impeachment o colocará no pedestal da história do Congresso Nacional e do PMDB no mesmo nível do saudoso Ulysses Guimarães, podendo ter efeitos devastadores no cenário político nacional. Imaginem o Eduardo Cunha sendo eleito como Presidente da República Federativa do Brasil!

Por fim, independentemente do resultado do impeachment, a sociedade ignorou o assunto mais importante do ano, que foi a aprovação da elevação da meta fiscal deste ano em R$119.900.000.000,00 (cento e dezenove bilhões, e novecentos milhões de reais). Ironicamente, a Câmara dos Deputados e o Senado aprovaram o ato que tapará o buraco fatorial do governo de um lado, ou aumentará a dívida ainda mais do outro. A aprovação supramencionada dará parcial governabilidade ao Poder Executivo, independentemente de quem esteja sentado na cadeira. Uma coisa é certa: – O Brasil ficará paralisado enquanto não resolverem a questão do impeachment.

A Câmara Municipal de Rio Bonito poderia se inspirar no Congresso Nacional e abrir o processo de impeachment da prefeita, Solange Pereira de Almeida. O problema é que a situação está cômoda para os vereadores, que demonstram incapacidade no exercício da fiscalização do Poder Executivo e na coalizão dentro da própria Casa Legislativa.

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior

Comentários