Padre Eduardo Braga.

Operação Aletheia em todos nós!

“O Brasil inteiro foi surpreendido há uma semana pela chamada “Operação Aletheia”. O interessante foi que desta vez, a Policia Federal, nesta nova fase da Operação Lava Jato, utilizou-se desta palavra grega, de inspiração bíblica que significa “Verdade”. Finalmente, parece que nem mesmo a própria sociedade aguenta mais tanta mentira. O retorno à verdade passa ser, portanto, necessário, urgente e essencial.
A grande tentação que também aqui nos ronda é torcemos para que a Operação Aletheia aconteça apenas na vida do ex presidente Lula da Silva. Não! A Operação Aletheia precisa diariamente começar em nós, em todos nós, sem exceção. Nesta vida, estamos todos expostos à corrupção! Quem de nós nunca se corrompeu no mínimo que fosse? Ou quem de nós nunca foi tentado a abraçar o vírus letal da corrupção?
Na Bíblia, “Aletheia” exprime o termo hebraico “Emet”. Ambos os termos significam o que é real e autêntico. E para o grego, “Aletheia” é o que pode ser apreendido intelectualmente. Isto significa que todo ser humano é capaz de viver na verdade! Precisamos da verdade. Não foi o próprio Cristo Jesus que nos ensinou que “A verdade nos libertará” (Jo 8, 32)?
​Atualmente, auxiliados pelo rico pontificado do Papa Francisco no que diz respeito a tantos pontos práticos do Cristianismo, temos aprendido que a “corrupção é o pior de todos os pecados”. Ela nasce da ambição e da frivolidade, da capacidade que tantos possuem de “se acostumarem com o mal”. Para o Papa, a corrupção tem sido “uma metástase para toda a sociedade”. A cura deste câncer está no retorno à verdade! Precisamos de uma cultura que resgate a verdade a começar no investimento de nossas “relações artesanais diárias”. As grandes corrupções que vemos hoje engolindo nosso país começaram na infidelidade às pequenas coisas! Aletheia neles, Aletheia em nós!
​O corrupto está fechado ao amor. Vive num estado pessoal e social de indiferença. Está fechado a transcendência e ao próximo. Sua autossuficiência humana o leva à “cultura da subtração”. Substitui Deus pelas suas próprias forças; muitas vezes sua formalidade e boas maneiras, seus títulos e honras, bens e prestígios servem apenas para encobrir seus péssimos maus hábitos e a mentira que virou seu deus há muito tempo. O culto a si mesmo é característica predominante de quem não está na verdade. O triunfalismo, a troca de favores, a vida real desregrada numa moralidade frívola e decadente tornam-se o terreno ideal para o corrupto construir seu castelo encantado nesta vida. Apartamentos, casas na praia ou na montanha, contas no exterior, banquetes em restaurantes, viagens faraônicas são apenas metáforas de quem esqueceu que a verdade sobre o todo deveria levar o ser humano a olhar a realidade e a verdade dos que mais precisam. O corrupto não se importa com o irmão. Os “companheiros” estão nos casebres afetados pelas chuvas ou na fila da minha casa, minha vida, e ele esquecendo seu passado vive no triplex. Não há o irmão para quem vive na mentira e na corrupção, há o cúmplice ou o inimigo.
​Que a busca e o amor à verdade nos levem a cura da corrupção! Que o bem vença o mal! Que a Lava Jato da consciência individual a todos lave! Que a Operação Aletheia seja verdade também em nós! Que ninguém mais faça papel de corrupto no seu dia a dia, vivendo a esclerose do coração, o câncer da alma, o alzheimer do amor. Que a corrupção não se alimente mais as nossas custas, com nossa aparência de cidadão ou cristão bonzinho, da nossa aceitação social daquele me levou ao médico ou conseguiu um trabalho ou um tijolo para mim. Não nos vendamos! Não nos corrompamos!
​Sim comece a Operação Aletheia no ex presidente, na presidenta, nos políticos e empresários; mas também em nós, em todos nós! Seja bem vinda Aletheia! Precisamos de você! Há tanto tempo te esperávamos! Salve o Brasil, Irmã Alehteia! Liberte nosso povo do mal e do pecado! Amém!”

Pe. Dudu

Comentários