1da7a0ac7a34d319d36fde2ba2a083ea_XL

Prêmio Pascoalino é um divisor de águas na vida do artista

Arielen Lefay Helayel: "Sabe o que são esses objetos em minhas mãos? São troféus que ganhei em 2013 no Prêmio Pascoalino, o festival de teatro da FETAERJ, o mesmo festival que vamos receber em Rio Bonito do dia 25 de julho até o dia 2 de agosto. Assim como eu, muitos outros riobonitenses já ganharam prêmios nesse festival, procure saber e vocês irão se surpreender com a quantidade de Pascoalinos que temos em nossa cidade."

Arielen Lefay Helayel: “Sabe o que são esses objetos em minhas mãos? São troféus que ganhei em 2013 no Prêmio Pascoalino, o festival de teatro da FETAERJ, o mesmo festival que vamos receber em Rio Bonito do dia 25 de julho até o dia 2 de agosto. Assim como eu, muitos outros riobonitenses já ganharam prêmios nesse festival, procure saber e vocês irão se surpreender com a quantidade de Pascoalinos que temos em nossa cidade.”

“Faço teatro oficialmente desde 2004, o meu mentor no teatro, Juka Goulart, sempre me falava de um festival de teatro chamado  Prêmio Pascoalino, da FETAERJ.  Ele falava tão maravilhado, com tanto prazer, que me fazia ter vontade de participar desse momento tão único que ele descrevia, onde o mesmo dizia que sentia vontade de chorar toda vez que acabava.

Eu só consegui ir para o tal festival em 2011…

O que aconteceu?

Descobri o que é teatro de verdade e me apaixonei mais ainda!

O Prêmio Pascoalino se tornou um divisor de águas para mim. Onde pude me encher de arte, assistindo espetáculos todos os dias, debater sobre ele, oficinas que me trouxeram mais conhecimento… Eu respirei teatro intensamente por dez maravilhosos dias e chorei quando acabou.

Imagina um lugar onde se tem gente de todo o tipo, idade, crença, mas com a arte como prazer comum.

Todos os anos quando acaba o festival, da aquela dor no coração.  Se despedir dos amigos que provavelmente só terá a oportunidade de rever no próximo festival, de amigos que você fez e de repente não verá nunca mais, porém aparece o entusiasmo para os preparativos do ano seguinte.

Não consegui parar de ir, todo ano vou ao festival desde então. Ano passado, inclusive, levei o meu filho que só tinha 3 meses e minha mãe, que disse querer também participar todo ano.

A cada dia do ano conto quantos dias faltam para o festival e esse dia está chegando.

Esse ano, não farei malas para ir ao Prêmio Pascoalino, pois terei o prazer de receber esse momento mágico e singular em minha cidade.

Seja bem vinda FETAERJ a Rio Bonito.

Evoé!”

 

 

Por Arielen Lefay Helayel

Comentários