FARMACIA_24_HORAS

Rio Bonito, Tanguá e Itaboraí não possuem farmácias 24 horas, deixando a população à deriva

Estou extremamente chateado como cidadão e morador de Rio Bonito. Muitos pensarão que o tema será político, mas não o é. Hoje, segunda-feira (31/08/2015), minha filha foi muito bem atendida no Hospital Regional Darcy Vargas, por causa da bronquite e da gripe típica desta estação. Até ai, tudo bem. O problema começou, quando fui comprar os medicamentos na Drogaria Alexandre, às 00:10 horas. As portas já estavam baixadas e com um aviso do não atendimento no horário das 00:00 às 07:00horas, em respeito ao cliente. Em suma, deste momento em diante, eu sai, como desesperado, em busca de uma farmácia que atendesse 24 horas. O resultado me deixou mais assustando ainda, tendo em vista que Rio Bonito, Tanguá e Itaboraí estão à deriva por parte do atendimento das Farmácias no horário de pico, na madrugada.

Enfim, após percorrer 53km, a farmácia em funcionamento 24 horas, mais próxima de Rio Bonito, foi localizada no bairro de Trindade, em São Gonçalo. Ela se chama Apollo 10, com o telefone (21)2603-4634. O atendente foi muito atencioso e solidário, ao contrário dos atendentes em Rio Bonito.

Em nome da crise econômica, com tantas farmácias e drogarias em Rio Bonito e no circuito Rio Bonito – Itaboraí, não havia uma, sequer, aberta. Eles, simplesmente, fecharam as portas e deixaram o povo à mercê da sorte, porque nós não podemos agendar a hora que alguém ficará doente. A doença não vai considerar o fato de que o medicamento só poderá ser comprado depois das sete horas da manhã.

Existem perguntas que não saem da minha mente: – Como ficaria minha cabeça, como pai, se eu não estivesse de carro e com combustível para bancar o deslocamento? Quantas pessoas já passaram por isso só em Rio Bonito? Não é possível que, com tantas farmácias e drogarias instaladas na Rua XV de Novembro, ninguém pensou em, pelo menos, sentar e organizar um cronograma diário ou semanal para cada farmácia trabalhar 24 horas, visando o melhor pela cidade?  Onde está o poder público para regularizar tais serviços, que são essenciais? – Por fim, mais uma vez, Rio Bonito, Tanguá e Itaboraí acabaram de demonstrar que o conceito de qualidade de vida é ter nada, porque eu só consegui garantir o tratamento da minha filha com deslocamento até São Gonçalo. O governo municipal da região participa das passeatas, objetivando forçar a Petrobrás e a União a retornarem as obras do COMPERJ, com o restante dos 18%. Entretanto, salvo os aluguéis fora da realidade e a especulação imobiliária, que se transformou numa enorme bolha, a região não se preocupou, sequer, em manter um padrão mínimo de cuidados e qualidade de vida da população local.

Nadelson Costa Nogueira Junior

Comentários