Posts

p_20170118_092720

PMRB atrasa o pagamento dos salários dos servidores para forçar a Câmara Municipal na revisão da flexibilidade orçamentária em 2018

Assinando o atestado de incompetência gestora e assumindo a marca latente da infantilidade na política e administração pública brasileira, onde a vaidade e a personalidade do político interferem e influenciam as políticas públicas e todas as relações que envolvem o erário público, o governo Mandiocão atrasa os salários dos servidores públicos da PMRB, objetivando mobilizar a máquina, a partir do empregado, para forçar a Câmara Municipal de Rio Bonito na revisão da votação do remanejamento do valor de R$71,6 milhões em 2018, porque a pasta do planejamento não fez o dever de casa em relação ao equilíbrio fiscal e as garantias entre as receitas e despesas do Município de Rio Bonito, enquanto que a Câmara Municipal estabeleceu a flexibilidade de 0,5% (meio por cento) de R$238,9 milhões, deixando o governo com R$1,19 milhões para passar de uma conta para outra neste ano.

Fazendo a retrospectiva, com o orçamento de 2018 aprovado pela Câmara Municipal, em 2017, no valor presumido de R$238.999.216,93, o governo pediu a flexibilidade de 30% do valor, como de costume, enquanto que os vereadores aprovaram 0,5%. Na prática, isso quer dizer que o prefeito só poderá retirar R$1.194.996,08 do plano orçamentário anual ao longo de 2018, o que poderá comprometer vários projetos com os fundos próprios e o pagamento das contas da PMRB. Todavia, a culpa não é da Câmara ou dos vereadores, tendo em vista que foi o próprio governo que organizou o orçamento, através da Secretaria Municipal de Planejamento. Logo, pela primeira vez na história de Rio Bonito, o secretário de planejamento passou a ter a notoriedade e a responsabilidade que lhe são devidas ao cargo, cujas contas, aparentemente não estão batendo, levando o governo ao desespero previsto anteriormente.

É importante atentar o povo para o fato de que é a primeira vez que vejo a Câmara Municipal trabalhar da forma correta em relação à flexibilidade. Logo, toda a responsabilidade cairá nas mãos do prefeito e dos seus respectivos secretários, caso a contabilidade não se encaixe com a realidade, uma vez que o governo teve um ano para fazer o planejamento e o plano orçamentário. Assim sendo, terá muita gente falando no ouvido do prefeito para resolver o problema que acontecerá nas licitações, uma vez que não haverá a flexibilidade dos R$54 milhões para preencher os buracos entre uma conta e outra. Por outro lado, a lógica também indicará que o governo optará em pagar as licitações e os contratos do interesse, deixando a folha de pagamento em segundo plano, enquanto a manobra for permitida.

O prefeito Mandiocão está na mão do palhaço e terá que conversar com a Câmara Municipal e os vereadores para desenvolver seus projetos, caso contrário, continuará paralisado e cometendo erros consecutivos, por tratar as secretarias municipais de forma política, quando deveria ser técnica. No mais, que a flexibilidade seja de zero por cento de 2019 em diante, porque a Câmara Municipal representa o povo e deve saber para onde são investidos cada centavo do contribuinte.

Por fim, o Prefeito e o secretário de planejamento são os verdadeiros culpados pelo atraso no pagamento dos servidores e das contas do Município de Rio Bonito, porque a Câmara Municipal só aprova, reprova, faz leis e fiscaliza.

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior

thumb640x300

No Brasil, o dinheiro jorra como água ou dá em árvore como folha e fruto

Eles trabalham nas empresas dos mais variados nichos no mercado, desde do ramo da exportação, conectando as pessoas jurídicas com os paraísos fiscais, até alcançarem a profundidade das licitações no poder público, constituindo uma rede de conexão corporativa e política, que constroem impérios e feudos da corrupção. Também mantém o status e ostentam o padrão de riqueza, que contradiz a lógica matemática, financeira e tributária brasileira, com carros importados, apartamentos e casas de praia nas áreas mais badaladas e caras do Estado do Rio de Janeiro, porque o dinheiro não brota no chão como água ou dá em árvore como folha ou fruto, salvo, se você for amigo confiável do político, que o transformará em laranja, para ter acesso ao dinheiro público e destruir o futuro do Brasil, do Estado do Rio de Janeiro e dos municípios, desviando o dinheiro das pastas da educação, saúde e desenvolvimento urbano.

Normalmente, as pessoas ligadas a esse tipo de conexão maligna indagam que não precisam mais se expor ou trabalhar, porque estão bem financeiramente, mas que farão para ajudar sua cidade, o Estado e o Brasil. Todavia, elas não abrem mão dos seus salários, do tráfico de influência e de todas as alegorias que envolvem o poder, porque, na realidade e contrariando o discurso original, o negócio da família precisa de todo o aparato para continuar existindo e ganhando dinheiro, de forma direta ou indireta, ora sugando tudo, ora lavando dinheiro ou captando percentuais de participação.

A corrupção é tão profunda no Brasil, que o presidente da república, Michel Temer, do PMDB, liberou R$12 bilhões em verbas, em 2017, para a base aliada ao governo, para continuar no poder e deixar os processos paralisados, pelo menos, enquanto ele estiver na presidência. Na prática, o governo federal foi liberando verbas, em sua maioria para projetos antigos e engavetados, estabelecendo, na maioria das vezes, quem os executaria. No caso de Rio Bonito, temos o exemplo da ciclovia superfaturada, cuja obra está paralisada.

É latente atentarmos para o fato de que o problema do Brasil não está somente na política, mas na classe empresarial e na elite que estão acostumados a ganhar dinheiro com o dinheiro público, através das licitações e dos empréstimos junto ao BNDES, Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil, tirando o problema de Brasília e dos palácios governamentais estaduais, trazendo-lhe para a sociedade, podendo ser uma pessoa comum, íntima, familiar ou conhecida no contexto.

Por fim, como já dizia Honore de Balzac: “Por trás de uma grande fortuna existe um crime”. Era difícil ver um milionário na imprensa internacional até a década de 1990, porque eles eram poucos, enquanto que se dedicavam à difícil arte de se perpetuar o capital, através dos investimentos. Foi por volta de 2003, que a moda das celebridades milionárias e bilionárias pegou na mídia global, com suas fusões corporativas, encantando o mundo com suas bolhas e ilusões. Mesmo assim, era comum a fortuna oriunda do acúmulo das heranças entre gerações. Todavia, o Brasil da atualidade está marcado pelo surgimento das grandes fortunas da noite para o dia, com pouco ou nenhum trabalho. Simplesmente, os amigos dos políticos se tornaram ricos e circulam entre os poderes da federação e os estrangeiros, sem dó, remorso ou arrependimento pelo mal que ainda causam à nação brasileira.

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior

26165329_1882855535075869_2636532047930562544_n

Lona na Lua e Criança Esperança abrem inscrições para o projeto “Lona na Lua – Oficinas de Artes”

“Uma das conquistas mais marcantes nos oito anos de existência do Lona na Lua está prestes a começar. Nos dias 8 e 9 de janeiro, a partir das 18h, o movimento sociocultural de Rio Bonito recebe inscrições para o projeto “Lona na Lua – Oficinas de Artes”, apoiado pela primeira vez pelo Criança Esperança, uma parceria da Rede Globo com a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

Serão 200 novas vagas para crianças e adolescentes de 8 a 17 anos nas oficinas de teatro, música, circo, dança, cenografia e figurino e roteiro. Para se matricular, os alunos devem comparecer ao Espaço Cultural acompanhados do responsável legal, cópia da identidade ou certidão de nascimento e uma foto 3×4. “Será um ano muito especial. Teremos mais crianças atendidas, mais espetáculos produzidos, e consequentemente, um impacto social ainda maior em nosso município. É a chance que o jovem riobonitense tem de aprender mais sobre a arte que pulsa de verdade que fazemos aqui”, afirma Zeca Novais, fundador do Projeto.

O Lona na Lua é uma associação cultural e social sem fins lucrativos que tem como objetivo proporcionar cultura para a população, contribuindo com o desenvolvimento de crianças e adolescentes através de um modelo de arte inclusiva. As inscrições e oficinas são gratuitas. Não perca!

SERVIÇO
Inscrições para o projeto “Lona na Lua – Oficinas de Artes”, apoiado pelo Criança Esperança

Quando: 8 e 9 de janeiro, a partir das 18h
Onde: Espaço Cultural Lona na Lua – Avenida Sete de Maio, S/Nº, Centro – Rio Bonito
Podem se matricular crianças e adolescentes de 8 a 18 anos.
Inscrições gratuitas.”

padre-eduardo

DEZ PASSOS PARA COMEÇAR O ANO EM DEUS – Por Padre Dudu

“Diariamente, somos desafiados a “dar a Deus o que é de Deus e a César o que é de César”. É um bom combate, uma luta constante na batalha da vida! Não é só a ação ou a experiência que enriquecem nosso ser. Tudo depende da qualidade dos nossos atos e experiências. Uma abundância de ações mal vividas também pode esgotar nosso ser, esvaziar nossos sonhos, roubar o sentido da vida. Não podemos viver apenas para “fazer alguma coisa”.
Como viver no início deste Novo Ano?
Começar em comunhão com Deus, Sob o olhar carinhoso da Mãe: Guardar o primado de Deus! Nos primeiros instantes de 2016, pela fé, entregamos tudo a Ele! O cristão deveria, onde estivesse, com quem estivesse, parar e rezar. No primeiro dia do ano civil, a Igreja nos faz celebrar a “Mãe de Deus”. Dia Santo de preceito. Começar com a benção da Mãe nos deve confortar! Consagrar o novo ano a Ela: Eis um bom e santo segredo!
Vivendo reconciliados: Começar o ano com ressentimentos e mágoas não é inteligente nem poderá fazer bem. Aproveite o dia internacional da paz para estar em paz com todos! Libere perdão! Comece um novo ano interiormente livre, literalmente novo.
Em Família: Em meio ao contexto da crise, não se pode esquecer que a Família é o melhor recurso do ser humano. Basta pouco para programar algo em família. Na verdade, basta querer. Não são grandes viagens; mas momentos intensos vividos juntos nestes dias onde possivelmente todos gozam de férias.
Cuidar da saúde: Bom também seria tirar uns poucos dias para os exames de rotina. Cuidar do corpo que precisará ter forças suficientes para enfrentar os desafios do novo ano;

Viver com propósitos: Um pequeno plano de vida não faz mal a ninguém. Nada de esquemas rígidos e fechados; mas alguns objetivos, virtudes e propósitos a serem alcançados devem nos motivar quando as dificuldades chegarem;

O justo descanso: Descansar é sempre necessário e salutar. Repousar ao menos dois ou três dias é uma necessidade neste tempo presente. Fazer memória de como Deus, em sua fidelidade e providência, tem me ajudado; permitir a alma descansar em Deus, entregando a Ele as preocupações;

Boas leituras, sobretudo a Escritura: O tempo das férias pode ser propício para as leituras que enriquecem e fortalecem nosso espírito. Recordo de um pedido do Papa Bento: Leiam integralmente os pequenos livros da Bíblia durante as férias!

Visite parentes e amigos: Aproveitar o tempo livre para viver a “cultura do encontro” visitando pessoas que você não vê há algum tempo é um ato salutar;
Praticar obras de misericórdia: Como bons católicos, em comunhão com o Ano Santo da Misericórdia, o exercício das obras espirituais e corporais de Misericórdia pode ser um ato concreto para nossa vivência de férias verdadeiramente cristãs;
Participe da Santa Missa em Igrejas que você ainda não conhece: Ao fazer tua programação semanal ou mensal de férias, priorize a Santa Missa dominical, e, se puder, vá a uma Comunidade Católica diferente para perceber a riqueza e a diversidade da nossa Igreja. Se estiver em um grande centro onde tenha a Catedral, visite a Porta Santa neste Ano da Misericórdia!
Que a Fé no Deus Vivo e Verdadeiro nos diga que Ele nos acompanhará todos os dias deste ano que começamos. Sustentados pela Esperança, caminhemos na certeza de que é Fiel Quem fez a Promessa! Oh não! Ele Não dorme, nem cochila! O Seu Espírito virá em socorro à nossa fraqueza! Caminhemos, ao longo deste ano, Ano da Misericórdia, certos de que a alegria de Deus é nos perdoar e fazer em nós, como em Maria, maravilhas!”

Padre Dudu

falta-de-agua-desterro-pb

Riobonitenses ficam sem água no centro da cidade e adjacências na véspera do natal de 2017

downloadA CEDAE dá de presente ao centro de Rio Bonito a falta de água, logo às vésperas do natal de 2017. E me pergunto para onde está indo o manancial hídrico todo de Rio Bonito? Com o custo médio de R$72,00 para cada 15 metros cúbicos por domicílio ao mês, o problema não está na água e nem no dinheiro, mas na vontade política e na gestão da empresa.

Tem sido algo comum no quotidiano riobonitense a reclamação dos cidadãos sobre a falta d`água na cidade, que está marcada com períodos superiores aos 21 dias no Rio do Ouro. O mesmo padrão vem se mantendo nos birros adjacentes ao centro, mostrando que a CEDAE está ineficaz, ineficiente e incompetente na prestação do serviço, que, no caso de Rio Bonito se limita à manutenção natural do reservatório, desde a adutora até o reservatório localizado no bairro da Caixa D`água Nova, e a distribuição pela cidade.

A incompetência latente da CEDAE em Rio Bonito demonstra o quanto a renovação do contrato entre a empresa e o município está inapropriada, principalmente, diante do processo de privatização da empresa pública, que já recebeu o aval da ALERJ para ser materializada de um lado, enquanto que o governo do Estado do Rio de Janeiro já a colocou como garantia do empréstimo realizado junto ao Banco Francês, no valor de R$ 3 bilhões, com os juros previstos em R$1 Bilhão até o ano de 2020, do outro, o que tornará o processo de aquisição muito mais fácil e barato para a iniciativa privada.
Está óbvio para a população que a PMRB já deveria ter municipalizado o serviço de tratamento e distribuição da água em Rio Bonito para aumentar sua receita e garantir o fornecimento da água às famílias riobonitenses. E por que ainda não o fizeram? – Enfim, está na hora da população ir para rua para pressionar o prefeito e a Câmara Municipal, uma vez que a situação está insustentável, com o Município perdendo receita, inclusive.

No centro da cidade começará uma disputa entre as bombas hidráulicas autoaspirantes para a manutenção das cisternas domésticas, cujos preços variam de R$184,90 a R$2.129,00 dependendo da marca e da potência do motor. Em suma, pagamos caro pelo serviço, que, seguindo a tradição do estado mínimo, ainda temos que investir em tecnologias para dar pressão e garantir o fornecimento hídrico, enquanto assim o permitirem.

Por fim, está na hora de Rio Bonito controlar sua água e pegá-la de volta para si, com o retardo mínimo de 15 anos, sem a CEDAE e terceiros no processo, porque a água é nossa.

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior

25443119_2001435726764581_433471957685900609_n

Andrezinho Shock representa o natal com personalidade e a família riobonitense

Quando eu me lembro do Andrezinho Shock, popularmente conhecido como o poeta do funk, me vem a visão do menino que cantava samba e funk de raiz lá no fundo da sala de aula e na hora do recreio no saudoso Colégio Cenecista Manual Duarte. Naquele momento, nós não sabíamos que o passado estava construindo o futuro da maior personalidade riobonitense na atualidade, que se manteve focalizado em seus objetivos, na família e nos projetos, sem perder sua identidade e consciência.

As palavras vão se agrupando naturalmente, quando escrevo sobre o André Luís Nogueira Xavier, que é o homem, as ideias, as atitudes e a personalidade que está por trás do Andrezinho Shock, o poeta do funk. Hoje, com 40 anos de idade, casado com Sabrina Xavier e pai da Lys Martinez, ele conquistou a fama e conseguiu manter sua imagem íntegra à família, servindo de referência positiva para Rio Bonito e o Brasil com sua música, composição e trabalhos sociais. Não seria algo tão extraordinário, se não fosse o simples detalhe de que seu combate e suas conquistas foram travadas nas periferias brasileiras, levando a luz e a consciência através do funk de raiz, ultrapassando obstáculos e vencendo preconceitos, porque o funk está popularizado na atualidade, mas não foi sempre assim.

Quem conheceu o Andrezinho Shock na infância, sabe que o poeta do funk sempre esteve ali, aguardando o momento determinado por Deus para explodir e conquistar o mundo, com os seus sucessos, tais como A vida é tipo roda gigante, Destino implacável, injustiçado, Vida Blindada, Louco para Viver, Minha Missão, Aqui se faz Aqui se paga, Amor Inigualável, Dois pesos Duas medidas, Desejo de Amar, Só Vitória, Gata de Elite, Bonde do Patrão, Mansão de Elite, Salvando sua Vida, Salve-se quem puder, Seu Amor, Mistura Boa, Filho do Dono, entre outros sucessos.

A Empório, a sua butique de acessórios, localizada na Rua da Conceição, centro, Rio Bonito, fez sua campanha de marketing 2017 com o tema, Natal com personalidade, apresentando o Andrezinho Shock com sua linda família. Nunca vi uma propaganda tão planejada e apropriada para Rio Bonito, enquanto que o poeta do funk é uma personalidade notória e que representa muito bem o modelo da família tradicional, idealizado pela sociedade brasileira e, principalmente, riobonitense. Simplesmente, quando eu olhei o outdoor na rua e as fotografias no facebook, me identifiquei com a imagem e todo o contexto dentro da fotografia, porque aquilo ali é real e pode ser tocado e percebido pelas pessoas, por sua naturalidade. O fotógrafo Rafael Rodrigues Xavier conseguiu captar e capturar o momento, o tempo, a emoção e a essência de todo contexto nas fotografias, como que se ele também estivesse sentado comigo na sala de aula do Colégio Cenecista Manuel Duarte, no início da década de noventa. Há outro detalhe muito importante, que é o cenário de fundo, valorizando o Natal Bonito e a cidade de Rio Bonito.

Por fim, eu tenho muita admiração, orgulho e respeito pelo André Luís Nogueira Xavier, porque ele se manteve íntegro ao longo do caminho e venceu, constituindo uma família linda e unida aos olhos de Deus e do mundo, nadando contra a corrente da aparência e do mundo editado pelo Corel Draw e Photoshop, valorizando Rio Bonito em seus vídeos e postagens nas redes sociais. Em suma, ele não se esqueceu de onde veio e se orgulha disso.

[layerslider id=”12″]

Por Nadelson Costa Nogueira Junior

Vereador Edilon de Souza Ferreira, o Dilon de Boa Esperança (PSC), no Programa Flávio Azevedo, em 18/12/17.

Programa Flávio Azevedo recebe vereador Dilon de Boa Esperança

O Programa Flávio Azevedo dessa segunda-feira (18/12) recebe o vereador Edilon de Souza Ferreira, o Dilon de Boa Esperança (PSC). Em nosso papo com o parlamentar riobonitense, a Lei de sua autoria que proíbe o ensino da Ideologia de Gênero nas escolas públicas e privadas do município. Também iremos fazer um balanço, com o parlamentar, sobre esse primeiro ano do mandato e suas perspectivas de futuro.

 

O "Auto da Compadecida" foi a grande atração da noite no palco do "Natal Bonito".

Natal Bonito mostra que Rio Bonito pode ser mais bonito

“Praça Fonseca Portela lotada. No palco, um grupo de jovens e adolescentes. Meninos que conseguiram na marra e na persistência alcançar o estrelato. A estória de Ariano Suassuna, “O Auto da Compadecida”, permitiu vermos no palco, jovens e crianças de todas as idades e talentos variados. O desempenho da garotada confirma o que já se sabe há muito tempo: Rio Bonito é uma terra de pessoas talentosas, de artistas que precisam apenas que lhes pavimente o caminho.
Do outro lado da rua, artesãos, gente tão talentosa quantos os atores que davam vida a obra de Suassuna. Pessoas que através de traços, riscos, pinturas, dobraduras e cortes; confirmavam que talento e criatividade é realmente a marca da nossa gente. O polêmico “Natal Bonito”, iniciativa que inebria ufanistas e desagrada pessimistas; confirma que nossa gente tão sofrida exige serviços públicos de qualidade, mas também gosta de celebrar e expor seus atributos.
Os artistas, no palco e na rua? Esses querem apenas oportunidades. Oportunidades de externar o seu talento, sua criatividade, suas obras. Eventos como o que aconteceu na noite desse sábado, 16 de dezembro, por mais que o palco do Natal Bonito tenha recebido até aqui muita gente talentosa, cria uma expectativa positiva na cabeça do riobonitense, que há anos deseja ter um Ano novo que ofereça de verdade novas perspectivas.
A trupe do Lona na Lua, os artesãos e aqueles que estão empenhados em promover o “Natal Bonito”; pela primeira vez conseguem, em muitos anos, alinhar o que é desejo do riobonitense há muito tempo: ver nossos artistas valorizados, ter orgulho de ser riobonitenses e acreditar que Rio Bonito é uma cidade possível.”
Por Flávio Azevedo.
Dr. Nogueira participando do Programa Flávio Azevedo dessa sexta-feira (15/12).

Saúde e Transporte de Pacientes no Programa Flávio Azevedo

Dr. Nogueira participando do Programa Flávio Azevedo dessa sexta-feira (15/12).

Dr. Nogueira participando do Programa Flávio Azevedo dessa sexta-feira (15/12).

“O Programa Flávio Azevedo dessa sexta-feira (15/12), entre outros temas, vai tratar de temas o Transporte de Pacientes, partindo da notícia de que uma Van que transporta pessoas que se tratam em outros cidades foi presa pela Polícia Rodoviária Federal (posto do Basílio), na tarde dessa quinta-feira (14). Já não tem carro e os que ainda conseguem circular, por relaxamento e/ou incompetência, desses governantes pangarés que se revezam na Prefeitura; estão em situação irregular.

Também recebemos o médico João Jorge Cabral Nogueira, que conversou conosco sobre Saúde, Comportamento e outros assuntos.”