Posts

15800614_1292242160835163_748046036254401610_o

Vice-prefeita Rita da Educação vira Rita da Saúde, mantendo os padrões dos governos anteriores na PMRB

whatsapp-image-2018-02-03-at-08-53-21Na última sexta-feira, dia 02 de fevereiro de 2018, a vice-prefeita de Rio Bonito, Rita de Cássia Antunes Borges Martins Gomes, popularmente conhecida como Rita da Educação, foi nomeada para o cargo de secretária municipal de saúde, símbolo SM, a contar de 02/02/2018, alcançando o ápice da sua carreira executiva e controlando, literalmente, um terço do orçamento municipal para 2018, no valor estimado em R$238 milhões, sendo R$79,3 milhões só para a pasta da saúde, que teve um péssimo desempenho no ano de 2017, salvo as propagandas do reforço de imagem do governo, com filas e agendamentos de longa espera no Loyola e nos postos de saúde, a UPA sem refrigeração e com problemas logísticos no estoque e almoxarifado, tendo em vista que o Município de Rio Bonito vem custeando a parte do Estado do Rio de Janeiro desde o anúncio da sua crise financeira, além dos empenhos superfaturados no transporte dos doentes, cujos carros foram maus utilizados pelo ente público, deixando a sociedade e os usuários dos serviços chupando dedo. Existem relatos do uso dos carros para a entrega de cachorro quente em festa de igreja no segundo distrito de Boa Esperança, por exemplo, enquanto que os doentes foram ignorados e deixados de lado.

No decorrer das eleições 2016, era visível e latente para a imprensa e a opinião pública que o grupo do prefeito Mandiocão estava fragmentado em 03 subgrupos políticos, sendo o primeiro original do prefeito, o segundo com o ex-secretário de saúde, Matheus Neto, como avatar, e o terceiro com a ex-vereadora e a atual vice-prefeita no comando, lutando por cada centímetro cúbico de influência e a atuação nos bastidores e nas apresentações no jogo do poder político. Dessa forma, também era latente e perceptível o conflito velado entre o grupo político do Matheus Neto e da Rita da Educação pela pasta da saúde e pela indicação do prefeito para a futura sucessão, lembrando a tradicional ritualística romana, quando o César levantava a mão do general e sucessor perante a sociedade nos festejos dos Deuses, com o escravo sussurrando no ouvido do indicado, dizendo-lhe que a morte era certa para todos.

A vice-prefeita estava com o controle da pasta da educação em 2017, que teve o orçamento real de R$58 milhões, recebendo o suporte extra de R$12 milhões do Governo Temer, totalizando R$70 milhões, enquanto que a educação municipal foi marcada pelos mandos e desmandos tradicionais nas direções escolares, com a merenda escolar comprometida na maioria das unidades, ficando mais latente a carência no interior, com a herança gerada no mandato do Mandiocão de 2005/2012, cujo caos foi mantido pela ex-prefeita Solange Pereira de Almeida, com as escolas sucateadas, professores desvalorizados e com péssimos salários, o FUNDEB utilizado de forma subjetiva, além da manutenção contínua dos contratos dos profissionais da saúde através do processo seletivo, quando a demanda deixa clara a necessidade do concurso público e do fim do cabide de emprego na educação, o que acabaria com o capital político do governante nas eleições seguintes.

Pelo julgamento histórico em 2017 e início de 2018, a vice-prefeita fez mais iniciativas plásticas com as pinturas e os trabalhos de imagem do que as intervenções e transformações essenciais e necessárias de fato na educação municipal, mantendo a tradição do mais do mesmo, vendendo a imagem de uma realidade editada no computador, cuja cereja do bolo foi o fechamento de uma escola no Quindão (Escola Municipal Casimiro de Abreu), no 2º Distrito de Boa Esperança em 2017, e de duas escolas, sendo a de Rio Mole e da Colina da Primavera, sem qualquer diálogo com a sociedade, o conselho municipal de educação e a Câmara Municipal, com a expectativa de fechar a escola de Cachoeiras dos Bagres ainda em 2018.

Por fim, a transição da vice-prefeita para a pasta da saúde poderá ser a volta por cima de tudo e a reinvenção de uma possível sucessão no poder para o Madiocão. Todavia, considerando o ambiente político local, acredito que já deixaram bombas instaladas propositalmente na pasta da saúde, que explodirão nas mãos da Rita de Cássia e que comprometerão seus planos para o futuro em relação ao cargo de prefeito, materializando o famoso fogo amigo ou a sabotagem no jogo do poder pelo poder. O primeiro desafio da vice-prefeita será a manutenção da UPA e das licitações deixadas pelo ex-secretário de saúde, num período em que o governo só possui 0,5% (meio por cento) de flexibilidade. É importante lembrar que estamos em ano eleitoral, enquanto que o Partido Progressista exigirá o apoio e a logística política na região para os seus candidatos ao Congresso Nacional, ALERJ, governo do Estado e Presidência da República. Dessa forma, a vice-prefeita e o prefeito não terão muita opção, diante do desgaste político e jurídico provocado na campanha eleitoral em 2016, que mantém o Mandiocão sentado na cadeira de prefeito, sustentado numa liminar, que arrancou a eleição, no tapetão, do Marcos Abrahão e a soberania da Câmara Municipal de Rio Bonito.

 

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior:.

27459238_277797579417786_1173374328989355880_n

Ponto de vista do poder Legislativo sobre a polêmica relacionada ao Orçamento Municipal

“A Lei Orçamentária Anual é enviada à Câmara Municipal todo ano até o dia 15 de setembro. Essa tramitação obedece a ditames da Lei de Diretrizes Orçamentárias. Chegando a Casa Legislativa, cópias da matéria são distribuídas a cada vereador e a matéria é encaminhada a Comissão de Finanças e Orçamento.

Nesta ocasião é comum o Secretário Municipal de Planejamento entrar em contato com os vereadores para explicar a Lei Orçamentária, sanar dúvidas, oferecer explicações e conciliar as Emendas parlamentares, que representam os anseios das comunidades. Nos últimos 25 anos foi assim. Em 2017, porém, isso não aconteceu.

Os vereadores apresentaram as suas emendas e obedecendo a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) o artigo que autorizava o chefe do Poder Executivo remanejar o Orçamento em 30%, fato maior que previa a Lei, foi alterado para 0,5%.

O prefeito tentou negociar, mas o Orçamento já tinha sido aprovado com as Emendas parlamentares. A peça orçamentária foi enviada ao poder Executivo no dia 15/12/2017 e a Prefeitura tinha 15 dias úteis para sancionar ou vetar, o que não aconteceu. Os vetos foram encaminhados ao poder Legislativo fora do prazo, em 12/01/2017. Diante do exposto, a Câmara Municipal tinha 48 horas para promulgar o Orçamento e assim a Casa procedeu.

Não satisfeito o chefe do poder Executivo publicou o Orçamento, sem sanção e sem as Emendas parlamentares. Posteriormente ele publicou com as Emendas, sendo que o Orçamento já havia sido publicado pela Câmara, o que representa dano ao erário em duas publicações indevidas, ato que deve ser apurado e quem causou este prejuízo deverá ser responsabilizado e devolver esses recursos aos cofres púbicos.

Para piorar o quadro, o chefe do poder Executivo envia, à Câmara Municipal, uma mensagem onde pede suplementação da ordem de R$ 16,4 milhões. A justificativa é de que esse recurso seria destinado a despesas com a pasta da Educação, o que não é verdade, porque para a Educação foram destinados R$ 3,4 milhões. Além disso, a mensagem retira R$ 5,7 milhões da rubrica destinada ao Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Rio Bonito, o que significa tirar esse recurso dos aposentados e pensionistas, iniciativa que esse poder entendeu como absurda e lesiva.

Diante dos fatos, a Câmara Municipal de Rio Bonito pediu informações ao poder Executivo, para que essas distorções sejam esclarecidas e automaticamente suspendeu a sessão extraordinária que seria realizada até que o poder Executivo preste as devidas informações.

A realidade é que o poder Executivo deseja encobrir a sua incompetência e tenta transferir a responsabilidade de sua ingerência administrativa ao poder Legislativo, estratégia que não vai funcionar, porque o povo está atento. A máscara dos mentirosos e oportunistas está caindo. Tudo isso poderia ser facilmente resolvido através do diálogo, do respeito e da cordialidade, o que não é desejo do chefe do Executivo desde que ele assumiu a gestão do município.”

14666127_1137230546346331_3361849771968010922_n

Eu amo ser vizinho do Estúdio de Dança Sonharte

Em 2016, eu vi nascer o Estúdio de Dança Sonharte, literalmente ao lado da minha casa e colado no meu muro. Lembro-me que minha filha se interessou no primeiro momento em que viu as crianças, vestidas de bailarinas, se direcionarem à casa do vizinho, que estava se transformando em algo extraordinário, que, talvez, nem a própria idealizadora do projeto e professora de dança, Caroline Rodrigues, não poderia imaginar.

Ao longo do ano de 2016, era comum o fluxo dos carros e das famílias que vinham deixar ou buscar suas filhas no ballet, enquanto que era prazeroso ver o brilho nos olhos, o sorriso e a satisfação nos rostos daquelas meninas e suas respectivas mães e avós, que acompanharam e ainda acompanham a jornada semanal em busca da perfeição na coreografia, através da prática, dedicação, disciplina e, principalmente, do companheirismo e do trabalho em equipe.

Com dois anos de existência e dois espetáculos anuais apresentados no Teatro da CDL, Entre Laços em 2016 e Estações em 2017, fui a testemunha de um processo de transformação de uma geração de crianças e adolescentes que se descobriram nas artes e que estão investindo em planos maiores para o futuro, ora para dançar profissionalmente ou para atender aos anseios da alma. Mas, uma coisa é certa: – O Estúdio de Dança Sonharte não ensina só dança aos seus alunos, porque ele se tornou um espaço de convivência social e cultural, além de uma referência positiva para as crianças e suas respectivas famílias se reunirem, conversarem sobre o cotidiano e o momento destas pessoas pequenas, que possuem muitas ideias e qualidades para melhorar o mundo, através do amor, do sorriso, da sinceridade e da ingenuidade, quebrando as barreiras da indiferença e agregando valores, através da inclusão social. Isso é visível diariamente, quando as mães esperam suas filhas durante as aulas ou são realizados os eventos internos, tais como os chás, festas da fantasia e amigos ocultos.

O Estúdio de Dança Sonharte nunca me incomodou como vizinho, pai, filho, marido e cidadão. Muito pelo contrário, tendo em vista que ele trouxe vida à Rua Santa Clara, localizada no centro de Rio Bonito. Desde o início de 2017, o repertório musical das aulas e das coreografias, que iam de Antonio Vivaldi à música contemporânea, infelizmente, desapareceu em função do isolamento acústico provocado pela instalação do sistema de climatização no estabelecimento. Eu adorava degustar o café da manhã com o som solitário do piano, que me vinha muito baixo, aos  40 decibéis, conforme o aplicativo de medição do meu celular. Todavia, a surpresa no último espetáculo foi maior, porque eu não sabia, sequer, a trilha sonora.

Por fim, o Estúdio de Dança Sonharte, localizado na Rua Santa Clara, nº 99, centro, Rio Bonito – RJ, estará matriculando a partir do dia 01/02/2018, das 14:00 às 18:00 horas, oferecendo aulas de ballet, jazz, contemporânea, dança de salão, dança do ventre, hip hop (danças urbanas), dança materna e ministerial, com as modalidades distribuídas para o público infantil, jovem e adulto, porque a dança é a arte em movimento.

 

[layerslider id=”17″]

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior

whatsapp-image-2018-01-29-at-21-29-52

Estúdio de Dança Sonharte apresenta Karina Freitas, professora de Ballet e Jazz

Com 06 anos de experiência no ballet e no jazz, a professora Karina Freitas integrou o grupo de dança ministerial amadora por 04 anos, estagiando ballet e jazz por 02 anos com a Carol Rodrigues, no Estúdio de Dança Sonharte e danças urbanas com o professor Marcos Paulo por 01 ano.

Ela também é estudante de fisioterapia, maximizando sua expertise na dança e nas coreografias, aplicando as noções da anatomia e fisiologia humana no desenvolvimento motor dos alunos e no processo criativo coreográfico na dança.
Para Karina Freitas, “a dança é algo que desejo levar consigo pro resto da sua vida, pois é uma linguagem incrível que nos permite expressar o que sentimos através dos movimentos do nosso corpo.”

 

[layerslider id=”16″]

 

Por Karina Freitas.

26952186_1636944879708226_8340134645046969349_o

Estúdio de Dança Sonharte apresente Ruan Rope, professor de Ballet e Jazz

26952186_1636944879708226_8340134645046969349_oIngressando no Estúdio como professor em 2018, Ruan Rope iniciou seu envolvimento na dança em 2000 em um projeto em Tanguá “Educação sem Fronteiras”, nesse projeto se manteve por 4 anos, realizando inúmeras apresentações dentro e fora do município, onde teve o primeiro contato com o Ballet e o Jazz com a Prof. Veronica Cardoso, participando do festival no Sesc de São Gonçalo, de 2004 a 2007. Integrou a Cia Comrua de Niterói, que tem como diretor e coreógrafo Rodrigo Pires e Pamela Oliveira, participando do Festival do Corpo Livre na UFRJ, Festival de Macaé, e outros eventos na cidade de Niterói. Em 2007 participou da Abertura e do Encerramento dos Jogos Pan-americanos do Rio de Janeiro. No inicio de 2008, deixou a Cia e começou a ministrar na Igreja ( considerado o lugar mais importante onde dança, pelo professor ). Em 2013,  participou do Festival Internacional e da Mostra de Dança de Cabo Frio. De 2012 a 2017, participou do Festival de Dança Sacra em Petrópolis, promovido pela Roberta Berteli. Em seguida, fez a audição para a Cia RIO, que tem como Diretor e Coreografo nosso amigo e prof. Marcos Paulo. Em 2014, fez um curso com os Profetas da Dança em Macaé. Em 2013 retornou às aulas de Ballet e Jazz com a prof. Carol Rodrigues e Patrícia Araújo, continuando com a prof. Carol Rodrigues com o Ballet e o Jazz, e agora com o Contemporâneo com o prof. Eros Nunes .


Em 2014, Ruan Rope começou uma das fases mais importantes da sua vida, que foi a graduação em Educação Física e em 2017 teve a realização de um sonho, se tornando professor Licenciado em Educação Física.
O mais interessante é que ele pode perceber, nessa trajetória de um pouquinho de anos, são as amizades que conquistou e manteve com todos no mundo da dança, pessoas de muito longe que ainda hoje são meus amigos e continuaram sendo.

O Estúdio de Dança Sonharte, localizado na Rua Santa Clara, nº99, centro, Rio Bonito – RJ, oferece o curso de Ballet e Jazz infantil e para adultos, enquanto que as matrículas poderão ser feitas a partir do dia 01 de fevereiro de 2018, das 14:00 às 18:00 horas.

 

[layerslider id=”15″]

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior

 

Marcos Paulo Borges, artista, dançarina e professor de danças urbanas no Estúdio de Dança Sonharte.

Estúdio de Dança Sonharte apresenta Marcos Paulo Borges, professor de danças urbanas

Marcos Paulo Borges, artista, dançarina e professor de danças urbanas no Estúdio de Dança Sonharte.

Marcos Paulo Borges, artista, dançarina e professor de danças urbanas no Estúdio de Dança Sonharte.

“(@MarcosPauloBC ‏) Artista/ Dançarino profissional pelo SPDRJ e bacharel em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense. Iniciou na dança em 2005, fazendo aulas de jazz e ballet na Cia. De Dança Elizete Mascarenhas. Em 2007 teve seu primeiro contato com as danças urbanas e desde então a tem como seu principal objeto de estudo.

Participou de diversos cursos na área da dança, com professores renomados a nível nacional e internacional, como: Keoni Madrid, Mariel Martin, Lauren Courtellemont, Phillip (Pac Man), Jaja Vankova , Kapela, Meech Onomo, Caleaf Sellers, Buddah Strech, Marjorie Smarth, Gemini, Paris Goebel, Fatou Tera, Airton Tenório, Alex Neoral, Helffany Peçanha, Nilson Tavares, Aline Teixeira, Luiz Mendonça e Renato Cruz.
Fez parte da primeira turma do Curso de Capacitação em Danças Urbanas – Condança/ IDEBRA.

Fez parte de grupos como COMRUA, Meriti Urbano e D’Company.
Já participou de comercias e programas de TV como: Tv xuxa, Mais Você, Vem-Aí, Video Show, Sangue Bom, Os Trapalhões e Vinheta de Fim de Ano da Rede Globo. Integrou o elenco do espetáculo “ Isso é volei”, apresentado nas finais da superliga de vôlei 2013, coreografado por Caio Nunes. Atuou como coreógrafo do Miss Universe Rio de Janeiro 2015. Participou do Criança Esperança 2010, aniversário de 15 anos do PROJAC e Especial de Natal da Xuxa em 2010 e 2011.Integrou o elenco profissional das cerimônias de abertura e encerramento das Olimpíadas Rio 2016.
Em 2011 fundou a R.I.O Cia de dança, onde atua como diretor e produtor cultural. Ja participou e ganhou importantes festivais no Rio de Janeiro e fora, citando aprovação para o Festival Internacional de Hip Hop Curitiba e Festival de Dança de Joinville. Com a companhia já conquistou mais de 50 prêmios incluindo os três primeiro lugares no 12˚ e 13˚ Encontro Latino Americano de danças ( Salto – SP), 2˚Lugar no Festival de Dança de Joinville e melhor coreógrafo no XXII FENODAM.”

O Estúdio de Dança Sonharte, localizado na Rua Santa Clara, nº99, centro, Rio Bonito – RJ, oferece o curso de Danças Urbanas às Terças e Quintas-feiras, às 19:45 horas, enquanto que as matrículas poderão ser feitas a partir do dia 01 de fevereiro de 2018, das 14:00 às 18:00 horas.

 

 

 

 

19989362_1441997992536250_528759629689908533_n

Estúdio de Dança Sonharte apresenta Vanessa Carvalho, professora da dança do ventre

Vanessa Carvalho, professora de dança do ventre - Estúdio de Dança Sonharte.

Vanessa Carvalho, professora de dança do ventre – Estúdio de Dança Sonharte.

Com o currículo profissional diversificado em habilidades e competências, com conteúdo e experiência, a professora Vanessa Carvalho iniciou na dança do ventre em 2012 com a Profª Ana Paula Mesquita (Niterói), buscando continuamente a atualização profissional e o aperfeiçoamento,  fazendo cursos, workshops com profissionais, considerados as referências no estilo oriental, tais como a professora e bailarina internacional Marta Korzun (Ucrânia), Natalia Trigo (Brasil), Christina Cordeiro (Brasil), Samira Halim (Brasil), Darah Hamad (Brasil), Ju Marconato (Brasil), Igor kischka (Brasil), entre outros.

Para Vanessa Carvalho, “a dança do ventre é algo mágico, que nos permite escrever com o corpo todo o sentimento mais profundo que a música transmite. Promove o encontro de grandes amizades e abre os nossos olhos para que possamos ver e entender o quanto somos especiais. Por isso, dance, sinta e se permita ter essa experiência!”

O Estúdio de Dança Sonharte, localizado na Rua Santa Clara, nº99, centro, Rio Bonito – RJ, oferece o curso de Dança do Ventre às quartas-feiras, às 18:30 e 20:00 horas, enquanto que as matrículas poderão ser feitas a partir do dia 01 de fevereiro de 2018, das 14:00 às 18:00 horas.

 

[layerslider id=”14″]

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior

26025780_1607022816033766_7270589009482740103_o

Estúdio de Dança Sonharte se superou na apresentação do seu segundo espetáculo em 2017

Nos dias 21 e 22 de dezembro de 2017, o Estúdio de Dança Sonharte realizou seu segundo espetáculo, ESTAÇÕES, no Teatro da CDL Rio Bonito, apresentando 26 coreografias, cuja essência transcorria com as quatro estações do ano solar de uma dança para outra, trazendo uma nova interpretação das “Quatro Estações” de Antonio Vivaldi e o “Sonho de uma noite de Verão” de William Shakespeare, com direito às fadas, elfos da floresta, encantos, magia, violoncelo, mixagem, luzes e a arte em constante movimento.

Lembro-me de que fiquei surpreendido com a qualidade e o sincronismo na dança do ventre e no hip hop em 2016, quando a diretora Caroline Rodrigues inaugurou o projeto, apresentando o espetáculo “Entre Laços”, com a participação da R.I.O Companhia de Dança. Meu coração palpitava com o ritmo, a alta performance dos dançarinos e o nível de dificuldade da coreografia. Em 2017, não foi diferente, porque eu testemunhei a evolução, a revolução e a disciplina de toda uma geração de alunos, que se aperfeiçoaram ao longo de um ano e deram um show diante do público.

Seguindo uma sequência rítmica variável, as coreografias saltavam do clássico ao contemporâneo, sem perder a essência e a coerência, construindo uma sensível paisagem temática, que era perceptível na plateia, como que se o teatro estivesse em outra dimensão. Uma outra característica profunda no espetáculo foi a maturidade e a busca pela perfeição por parte dos alunos, o que elevou o Teatro da CDL ao nível do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, porque não é o lugar que se transforma por si só, salvo a manifestação humana.

A advogada e professora universitária, Ilana Aló, criou um personagem na dança teatral, que eu carinhosamente apelidei de “a filósofa francesa solitária”, por causa da boina, da caricatura e a encenação, cuja interpretação já se tornou uma marca registrada nas apresentações do Estúdio de Dança Sonharte, uma vez que todo o contexto da ópera me levou à reflexão da solidão e da beleza no meio das adversidades no cotidiano e na própria arte, ora numa estação de trem, ora na sala do apartamento cubículo em Paris, vivendo a variação das emoções, do tempo, das estações do ano e do aprimoramento humano.

Mais uma vez, a apresentação do Hip Hop roubou a cena da noite, mas não foi somente pela energia do ritmo e da coreografia, mas, pelo simples fato de que a R.I.O Companhia de Dança ingressou no projeto ao longo do ano de 2017 e apresentou a primeira turma do Estúdio Sonharte, quebrando tabus e afirmando ao público que a arte é acessível a todos, sem exceção.

Por fim, que venha o espetáculo de 2018, com mais ballet, dança do ventre, sapateado, flamenco e a tão esperada dança de salão. Que a Caroline Rodrigues e a equipe do Estúdio de Dança Sonharte nos surpreendam novamente com a evolução e o amadurecimento dos alunos, porque, quando eu me sento na plateia, sou transportado para as coreografias, enquanto que saio de lá melhor e com a certeza de que o a humanidade seria nada sem a arte, a música, a dança e o pensamento.

[layerslider id=”13″]

 

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior

qual-a-diferenca-de-perfil-e-pagina-no-facebook

Influência do Facebook no marketing digital e nos negócios no Brasil

Conforme o estudo desenvolvido pelo Scup em 2014, envolvendo 209 profissionais que compartilharam suas opiniões sobre o papel do Facebook no futuro do marketing digital, foi concluído que 90% dos profissionais o consideram a principal plataforma de estratégia de rede sociais das agências e empresas, enquanto que a ferramenta se tornará relevante em 36 meses, para 41,15%.

Os maiores benefícios do Facebook são:
Aumenta a visibilidade das suas ações de marketing 80,86%
Aumenta o tráfego dos seus sites 49,28%
Insights para melhorar os produtos e serviços 51,20%
Gera advogados e fidelidade à marca 31,58%
Gera Leads 26,79%
Gera novos negócios (vendas) 24,40%
Não traz benefícios 2,87%

 

O Facebook está morrendo.
Discordam. 45,93%
Discordam fortemente. 12,92%
Não tem certeza. 30,62%
Concordam que o Facebook está morrendo. 9,57%
Concordam Fortemente que o Facebook está morrendo. 0,96%

 

MELHORES HORÁRIOS PARA POSTAR NAS REDES SOCIAIS
INÍCIO FIM DIAS IMPORTANTE
FACEBOOK 13:00 17:00 Segunda à Sexta. O horário de maior audiênica é as 15:00 às quartas feiras.
INSTAGRAM 17:00 18:00 Segunda à Sexta. Aos sábados e domingos, entre as 17:00 e 18:00 há interação maior.
PINTEREST 14:00 16:00 Segunda à Sexta. O horário das 20:00 até as 23:00 nos dias úteis é muito útil para alcançar mais audiência.
TWITTER 13:00 15:00 Segunda à Quinta. Tweets com menos de 100 caracteres geram mais audiência que os tweets longos.

 

A pesquisa concluiu que 43,54% dos profissionais pretendem aumentar os investimentos no Facebook nos próximos 03 meses, enquanto que 33,97% manterão os investimentos atuais. Em contrapartida, 3,35% diminuirão os investimentos, enquanto que 19,14% não investem. O interessante é que salvo a resistência comum dos 19,14% supramencionada, ninguém afirmou que deixaria de investir no Facebook. Em suma, a ferramenta conquistou o mercado das marcas e dos negócios, se tornando um caminho consolidado.

Por fim, cabe ao leitor e ao investidor analisarem até que ponto a quantidade cobre a qualidade além dos gráficos e dos indicadores, bem como até que ponto o investimento se torna um caso de sucesso em relação ao lucro, à propagação da marca e as variações nas relações do consumo, cujos gráficos representam os fluxos e as densidades. Todavia, a compreensão do comportamento e o perfil do consumidor  é o elemento mais importante, se transformando no diamante nas relações virtuais.

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior

Gestor das Redes Sociais

 

 

 

 

 

 

 

 

memoria

Brasileiro é programado na escola para não ter memória

cerebros-arvores-1000x520Após 20 anos dedicados, ao serviço público no Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro, à manutenção dos computadores e a criação das resenhas no Café Poético e Filosófico, atuando na imprensa local e nas redes sociais, me bateu a saudade do magistério, das dinâmicas de grupo, aulas particulares e trabalhos acadêmicos.

Com o contato social cotidiano, tenho percebido que as pessoas estão carentes do conhecimento sobre a cidadania, gestão, sociologia, filosofia, teoria geral do estado, ciências políticas, geopolítica e, principalmente, história e geografia. O problema fica mais latente, quando as duas últimas disciplinas se desmembram no estudo do Brasil, mundo e da atualidade. A questão é que a história e a geografia, por exemplo, são duas disciplinas tradicionais na grade curricular no nosso modelo de educação industrial público e privado, mas, mesmo assim, parece que a programação social está apagando a memória humana, quando deveria fazer justamente o contrário. A mesma dinâmica se repete nas universidades brasileiras, produzindo um exército de bacharéis com títulos e pouco conteúdo, comprometendo a qualidade na pós-graduação.

O fato é que, quando a nação e a sociedade não compreendem seu processo histórico e sua organização social, elas ficam perdidas e sem rumo, uma vez que se esquecem da sua identidade e dos seus valores, porque a educação pública e privada condicionou nossos filhos e netos à preparação contínua para os vestibulares e o ENEM, com suas fórmulas e artifícios de um lado, deixando a essência pedagógica em último plano do outro, que é justamente transmitir o conhecimento e perpetuá-lo através da prática, da teoria e do compartilhamento entre a sociedade e os indivíduos que a integram, produzindo habilidades, competência e soluções.

Tenho testemunhando vários intelectuais e pensadores virtuais culpando a imprensa e a rede globo pelas mazelas da atualidade e da república, quando, de fato, o problema está dentro do sistema e no modelo educacional praticado no Brasil, que paga pessimamente os professores e deixa as escolas sucateadas no setor público, com as mesmas tendências se replicando no setor privado, que descobriu o sistema de módulos para aumentar seu lucro e diminuir as despesas.

Por fim, sou obrigado a perguntar ao meu caro leitor, que é pai ou mãe: – O que vocês esperam deixar para as próximas gerações? Uma geração de bacharéis sem conteúdo ou uma sociedade pensante e que busque o norte na ética, na memória e na propagação do conhecimento?

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior