images (11)

A gestão em RH focaliza a entrevista de desligamento como fonte de pesquisa e aprendizagem.

hqdefaultQuando o tema “Entrevista de Desligamento” é abordado, me vem a pano de fundo do filme “Amor sem Escalas”, onde o protagonista, que é um executivo de uma Empresa Multinacional, atuante na área da consultoria no processo de desligamento e demissão dos funcionários das empresas que foram adquiridas por fusões, tendo o ato seu fundamento no determinismo econômico, apresentando uma realidade na economia americana na atualidade. O personagem interpretado por George Clooney se senta perante uma lista de funcionários, que recebem a notícia naquele exato momento sobre sua demissão, apresentando os benefícios que serão estendidos temporariamente aos colaboradores, bem como, apresentando novos caminhos e perspectivas aos recém-desempregados. Simplesmente, o filme é marcado for muita emoção e a radiação do medo nos departamentos, no momento das entrevistas de desligamento.

No caso do Brasil, a entrevista de desligamento foi uma ferramenta muito utilizada no final da década de 70 e a década de 80, cujo objetivo era compreender o que estava faltando quanto à motivação por parte da empresa na ótica do colaborador. No caso das empresas estatais e das autarquias, o objetivo ia além, vislumbrando a capacidade da aprendizagem com os erros dos dois lados, abrindo a possibilidade do desenvolvimento do empregado, caso existisse tal possibilidade.

Aos olhos da Administração de Empresas e da atual gestão em Recursos Humanos, a entrevista de desligamento é aplicada em poucas organizações, visando os colaboradores que pediram demissão, materializando a tentativa da empresa compreender  os motivos que os levaram a tal decisão, utilizando seus resultados como indicadores para o aperfeiçoamento da organização na retenção dos seus talentos. Por exemplo, foi através das entrevistas de desligamento que as organizações descobriram que o mercado de trabalho estava competitivo quanto à qualidade dos benefícios oferecidos aos empregados, tornando o salário um fator secundário na escolha por parte dos profissionais. Logo, a entrevista de desligamento é um instrumento forte e necessário, desde que seja utilizado sem aviso ou com o universo controlado, limitando-se aos funcionários que pediram demissão.

O tema tem que se conversado nos cursos de administração de empresas  e na sociedade, porque os efeitos da economia americana estão se propagando para o Brasil, nesse exato momento.  Um novo nicho na área dos Recursos Humanos surgirá para atender tal demanda, objetivando o desligamento, bem como o recrutamento.  Tudo dependerá dos resultados nas bolsas de valores, a decisão da maioria dos acionistas e o comportamento dos próprios colaboradores nas empresas.

Por fim, o tema “entrevista de desligamento”  provoca a conversa em outro prisma do conhecimento corporativo e da essência humana: – A Responsabilidade Social.

 

Nadelson Costa Nogueira Junior