charuto-revista-eno-estilo-3

Ingênuo

Apostei no jogo da vida.

Dei minha fé e esperança como garantia,

Porque não havia outra forma para mudar.

Mas, desistiram do jogo, antes do começo.

Assim, Acendi um charuto e o traguei.

O alcatrão e a nicotina agarram na garanta,

Uma vez que o nó não poderia ser mais desfeito,

Enquanto que me satisfazia com o maldito pigarro.

Não foi desencanto de amor,

Nem a tristeza da solidão.

Na verdade, eu esperava o salvador,

Quando, diante da multidão,

Vinha-me a certeza de que o sacrifício era meu…

E de mais ninguém.

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior

Comentários