Padre Eduardo Braga.

QUE VENHA A PRIMAVERA DO ESPÍRITO!

“O ser humano é capaz de perceber as transformações por que passa a natureza. Cada ciclo de vida que começa e termina, cada estação que traz os seus próprios ritmos e frutos. Isto é o mundo natural, aquele que nossos cinco sentidos percebem, avaliam e respondem. Mas o ser humano não é apenas um ser natural, sensível e capaz de responder apenas aos movimentos da natureza. O ser humano também possui em sua essência algo que sobrepõe-se ao natural, algo que o destaca da sua existência meramente física, material, e o eleva para além do que os seus olhos podem ver, do que os ouvidos podem ouvir, do que, enfim, os sentidos podem perceber. Esta é a vida sobrenatural a que o homem também foi chamado a viver e capacitado a experimentar.

E esta visão sobrenatural nos aponta um momento novo que muitos de nós temos vivido. Uma nova estação, um novo momento, que tem revelado um ritmo diferente de vida para tantos que têm aberto o coração a Deus. Frutos mais saborosos, calor que aquece a alma, brisa que alivia o coração, chuva que irriga a aridez dos dias sofridos, aroma que traz novas perspectivas e esperanças, despertando uma expectativa boa e nova em relação ao que está por vir. Esta é a Primavera do Espírito! Aquela que temos experimentado quando contemplamos novas vidas que vêm sendo restauradas, famílias que vêm sendo curadas, histórias que vêm sendo transformadas. Tudo pela graça e força do Espírito de Deus, Espírito Criador, de Vida Nova, Espírito de Amor!

Que venha a Primavera do Espírito! Como negar que ela já veio vendo tantos casais que retornam para a Igreja ou que a descobrem agora com Mãe e Porta do Céu? Como não reconhecê-la vendo o testemunho de famílias reconciliadas, de vícios que foram superados, de histórias que foram refeitas? Como não reconhecê-la vendo tantos jovens que estão sendo despertados do sono anestesiador do mundo e redescobrindo uma nova forma de ser jovem e de ser feliz junto de Deus? Quantas restaurações de vidas temos assistido! Quantos pequenos e grandes milagres nossos olhos estão presenciando! É o Amor de Deus transformando, recriando, dando vida nova aos ossos secos que jaziam mortos nas trevas deste mundo.

Precisamos acreditar na ação de Deus no mundo contemporâneo, e Ele continua agindo através do “mover” do Seu Espírito! Não nos deixemos jamais levar pelo pessimismo, pelo derrotismo, que sempre conduzem à acomodação e ao conformismo. Deus acredita no ser humano, acredita nas famílias e nos jovens, Ele espera de nós! E não podemos perder as esperanças de que o mundo pode ser renovado por Ele, através de cada um de nós! Precisamos acreditar que nossas famílias podem ser restauradas, que haverá o tempo da graça chegar em nossas casas, e essa esperança é o que não nos deixará desistir jamais de lutar. A esperança não é a “última que morre”, simplesmente porque não morre jamais, porque “a esperança não decepciona, porque o amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado” (cf. Rm 5, 5). A esperança é a resposta do homem e da mulher que têm fé no Deus Único e Imortal, no Deus de Amor e de Misericórdia, no Deus que jamais se cansará de bater à nossa porta e dizer-nos: “Filho, filha, estou aqui, dá-me a tua mão!”

Que venha a Primavera do Espírito! Homens e mulheres, crianças, jovens e idosos, famílias inteiras sendo inflamadas por um fogo novo de amor que perdoa e reconcilia, que recomeça sempre, por um ardor novo de serem profetas e missionários, optando pela radicalidade de uma vida cristã que testemunhe santidade e fidelidade aos desígnios de Deus.

Que venha a Primavera do Espírito! Venha sobre nós, sobre nossas famílias, um novo tempo, um novo sonho, uma nova esperança! Que possamos oferecer o que somos e o que temos para que esta nova Primavera do Espírito aconteça e se sobreponha aos invernos frios e escuros do mundo que se esqueceu ou deixou de esperar em Deus! E que pela luz do Espírito Santo tenhamos a graça de sermos canais que revelem ao coração do homem que Deus é a única resposta para todos os seus anseios justos de felicidade e de vida plena!”

Padre Dudu