Posts

14666127_1137230546346331_3361849771968010922_n

Eu amo ser vizinho do Estúdio de Dança Sonharte

Em 2016, eu vi nascer o Estúdio de Dança Sonharte, literalmente ao lado da minha casa e colado no meu muro. Lembro-me que minha filha se interessou no primeiro momento em que viu as crianças, vestidas de bailarinas, se direcionarem à casa do vizinho, que estava se transformando em algo extraordinário, que, talvez, nem a própria idealizadora do projeto e professora de dança, Caroline Rodrigues, não poderia imaginar.

Ao longo do ano de 2016, era comum o fluxo dos carros e das famílias que vinham deixar ou buscar suas filhas no ballet, enquanto que era prazeroso ver o brilho nos olhos, o sorriso e a satisfação nos rostos daquelas meninas e suas respectivas mães e avós, que acompanharam e ainda acompanham a jornada semanal em busca da perfeição na coreografia, através da prática, dedicação, disciplina e, principalmente, do companheirismo e do trabalho em equipe.

Com dois anos de existência e dois espetáculos anuais apresentados no Teatro da CDL, Entre Laços em 2016 e Estações em 2017, fui a testemunha de um processo de transformação de uma geração de crianças e adolescentes que se descobriram nas artes e que estão investindo em planos maiores para o futuro, ora para dançar profissionalmente ou para atender aos anseios da alma. Mas, uma coisa é certa: – O Estúdio de Dança Sonharte não ensina só dança aos seus alunos, porque ele se tornou um espaço de convivência social e cultural, além de uma referência positiva para as crianças e suas respectivas famílias se reunirem, conversarem sobre o cotidiano e o momento destas pessoas pequenas, que possuem muitas ideias e qualidades para melhorar o mundo, através do amor, do sorriso, da sinceridade e da ingenuidade, quebrando as barreiras da indiferença e agregando valores, através da inclusão social. Isso é visível diariamente, quando as mães esperam suas filhas durante as aulas ou são realizados os eventos internos, tais como os chás, festas da fantasia e amigos ocultos.

O Estúdio de Dança Sonharte nunca me incomodou como vizinho, pai, filho, marido e cidadão. Muito pelo contrário, tendo em vista que ele trouxe vida à Rua Santa Clara, localizada no centro de Rio Bonito. Desde o início de 2017, o repertório musical das aulas e das coreografias, que iam de Antonio Vivaldi à música contemporânea, infelizmente, desapareceu em função do isolamento acústico provocado pela instalação do sistema de climatização no estabelecimento. Eu adorava degustar o café da manhã com o som solitário do piano, que me vinha muito baixo, aos  40 decibéis, conforme o aplicativo de medição do meu celular. Todavia, a surpresa no último espetáculo foi maior, porque eu não sabia, sequer, a trilha sonora.

Por fim, o Estúdio de Dança Sonharte, localizado na Rua Santa Clara, nº 99, centro, Rio Bonito – RJ, estará matriculando a partir do dia 01/02/2018, das 14:00 às 18:00 horas, oferecendo aulas de ballet, jazz, contemporânea, dança de salão, dança do ventre, hip hop (danças urbanas), dança materna e ministerial, com as modalidades distribuídas para o público infantil, jovem e adulto, porque a dança é a arte em movimento.

 

[layerslider id=”17″]

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior

padre-eduardo

DEZ PASSOS PARA COMEÇAR O ANO EM DEUS – Por Padre Dudu

“Diariamente, somos desafiados a “dar a Deus o que é de Deus e a César o que é de César”. É um bom combate, uma luta constante na batalha da vida! Não é só a ação ou a experiência que enriquecem nosso ser. Tudo depende da qualidade dos nossos atos e experiências. Uma abundância de ações mal vividas também pode esgotar nosso ser, esvaziar nossos sonhos, roubar o sentido da vida. Não podemos viver apenas para “fazer alguma coisa”.
Como viver no início deste Novo Ano?
Começar em comunhão com Deus, Sob o olhar carinhoso da Mãe: Guardar o primado de Deus! Nos primeiros instantes de 2016, pela fé, entregamos tudo a Ele! O cristão deveria, onde estivesse, com quem estivesse, parar e rezar. No primeiro dia do ano civil, a Igreja nos faz celebrar a “Mãe de Deus”. Dia Santo de preceito. Começar com a benção da Mãe nos deve confortar! Consagrar o novo ano a Ela: Eis um bom e santo segredo!
Vivendo reconciliados: Começar o ano com ressentimentos e mágoas não é inteligente nem poderá fazer bem. Aproveite o dia internacional da paz para estar em paz com todos! Libere perdão! Comece um novo ano interiormente livre, literalmente novo.
Em Família: Em meio ao contexto da crise, não se pode esquecer que a Família é o melhor recurso do ser humano. Basta pouco para programar algo em família. Na verdade, basta querer. Não são grandes viagens; mas momentos intensos vividos juntos nestes dias onde possivelmente todos gozam de férias.
Cuidar da saúde: Bom também seria tirar uns poucos dias para os exames de rotina. Cuidar do corpo que precisará ter forças suficientes para enfrentar os desafios do novo ano;

Viver com propósitos: Um pequeno plano de vida não faz mal a ninguém. Nada de esquemas rígidos e fechados; mas alguns objetivos, virtudes e propósitos a serem alcançados devem nos motivar quando as dificuldades chegarem;

O justo descanso: Descansar é sempre necessário e salutar. Repousar ao menos dois ou três dias é uma necessidade neste tempo presente. Fazer memória de como Deus, em sua fidelidade e providência, tem me ajudado; permitir a alma descansar em Deus, entregando a Ele as preocupações;

Boas leituras, sobretudo a Escritura: O tempo das férias pode ser propício para as leituras que enriquecem e fortalecem nosso espírito. Recordo de um pedido do Papa Bento: Leiam integralmente os pequenos livros da Bíblia durante as férias!

Visite parentes e amigos: Aproveitar o tempo livre para viver a “cultura do encontro” visitando pessoas que você não vê há algum tempo é um ato salutar;
Praticar obras de misericórdia: Como bons católicos, em comunhão com o Ano Santo da Misericórdia, o exercício das obras espirituais e corporais de Misericórdia pode ser um ato concreto para nossa vivência de férias verdadeiramente cristãs;
Participe da Santa Missa em Igrejas que você ainda não conhece: Ao fazer tua programação semanal ou mensal de férias, priorize a Santa Missa dominical, e, se puder, vá a uma Comunidade Católica diferente para perceber a riqueza e a diversidade da nossa Igreja. Se estiver em um grande centro onde tenha a Catedral, visite a Porta Santa neste Ano da Misericórdia!
Que a Fé no Deus Vivo e Verdadeiro nos diga que Ele nos acompanhará todos os dias deste ano que começamos. Sustentados pela Esperança, caminhemos na certeza de que é Fiel Quem fez a Promessa! Oh não! Ele Não dorme, nem cochila! O Seu Espírito virá em socorro à nossa fraqueza! Caminhemos, ao longo deste ano, Ano da Misericórdia, certos de que a alegria de Deus é nos perdoar e fazer em nós, como em Maria, maravilhas!”

Padre Dudu

ko8iq8z

A Difícil arte de existir e de se medir

Se a vida fosse uma novela ou série de TV, nós seríamos os protagonistas na juventude, cheios de razão, certezas e ideias. A juventude tem o poder de tornar seu portador inabalável, enquanto que toda existência, ao seu redor, se manifesta como uma grande plateia.

O tempo passa, enquanto que ganhamos a experiência com a idade. A razão absoluta se torna relativa. As certezas perdem espaço para as incertezas do cotidiano. As ideias próprias se esvaziam, cedendo espaço ao pensamento comum e coletivo. Dessa forma, deixamos de valorizar a singularidade, para nos tornarmos parte de algo maior do que nós mesmos, como a família, a religião e o convívio social. Simplesmente, nos tornamos atores coadjuvantes da vida das outras pessoas, enquanto que abandonamos o estrelado do nosso ego, assumindo um dos assentos no meio da multidão.

Não se preocupe, pois tais percepções são normais e naturais no ser humano, por causa da sua necessidade social de fazer parte de algo maior que sua própria existência. Seu ego ocupou o lugar esperado no seu tempo, enquanto que sua alma amadureceu entre seu nascimento e a velhice.

Agora, você está pronto para continuar a jornada, num mundo com paz, amor, tolerância, cumplicidade e sucesso, porque a pessoa só pode dar aquilo que tem, mesmo que a porção seja pouca.

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior

Dois-anos-de-Sophia-245

Me reconectei a Deus e me sincronizei com os negócios

A luz é afrodisíaca e entorpece aquele que se fez distante por algum tempo. A oração faz isso com qualquer praticante da fé. Poderíamos falar das taxas da endorfina que são lançadas na corrente sanguínea do ser humano no momento da realização, seja ela qual for. Mas, não diminuirei o tema aos números e as tentativas do homem em querer quantificar tudo, porque nós não somos máquinas. Prefiro mantê-lo no campo da existência, da consciência e da metafísica.

Após o falecimento do meu pai, em julho de 2015, ingressei numa espécie de crise existencial. Acendia as velas do Shabat e cumpria a ritualística, como de costume. Todavia, as ações pareciam mecânicas. Havia algo dentro de mim que estava atrapalhando minha conexão com o criador e a criação. Talvez, tenha sido o tamanho da dor e da perda, que sofri no silêncio. Talvez, seja o desligamento obrigatório e involuntário do patriarca da família.

Esse desconforto me afetou nos negócios, uma vez que meu sócio, mestre, conselheiro e amigo não estava mais comigo no plano material. Tive que parar os serviços nos últimos meses, tendo em vista que era imperativo dar um tempo, para diluir e reconstruir tudo, com ordem no tempo e no espaço.

Essa semana,  estou muito feliz, porque montei dois servidores e atendi alguns clientes na área da formatação e consultoria em TI ( Tecnologia da Informação). Arrumei o laboratório e coloquei as coisas no lugar. Estou pronto para continuar os projetos e o legado que construí junto com meu pai. Por isso, mãos na massa, porque tempo é dinheiro, enquanto que pretendo passar parte do meu conhecimento e aprendizado a minha filha.

Continuarei com a forma humanística de trabalho do patriarca, que seguia com a máxima:  “Não faça clientes, mas amigos.”

Mas, minha maior alegria foi ter me preparado para as orações, sem a correria e a interferência do trabalho. Exatamente no por do sol, acendi as velas do Shabat e senti a paz e a ternura, que havia esquecido, porque não estava mais sozinho, pois o criador estava comigo e com toda criação.

Por Nadelson Costa Nogueira Junior

www.nadfad.com.br

Padre Dudu - Canção Nova.

Dez passos para começar o ano em Deus

“Diariamente, somos desafiados a “dar a Deus o que é de Deus e a César o que é de César”. É um bom combate, uma luta constante na batalha da vida! Não é só a ação ou a experiência que enriquecem nosso ser. Tudo depende da qualidade dos nossos atos e experiências. Uma abundância de ações mal vividas também pode esgotar nosso ser, esvaziar nossos sonhos, roubar o sentido da vida. Não podemos viver apenas para “fazer alguma coisa”.

Como viver no início deste Novo Ano?

Começar em comunhão com Deus, Sob o olhar carinhoso da Mãe: Guardar o primado de Deus! Nos primeiros instantes de 2016, pela fé, entregamos tudo a Ele! O cristão deveria, onde estivesse, com quem estivesse, parar e rezar. No primeiro dia do ano civil, a Igreja nos faz celebrar a “Mãe de Deus”. Dia Santo de preceito. Começar com a benção da Mãe nos deve confortar! Consagrar o novo ano a Ela: Eis um bom e santo segredo!

Vivendo reconciliados: Começar o ano com ressentimentos e mágoas não é inteligente nem poderá fazer bem. Aproveite o dia internacional da paz para estar em paz com todos! Libere perdão! Comece um novo ano interiormente livre, literalmente novo.

Em Família: Em meio ao contexto da crise, não se pode esquecer que a Família é o melhor recurso do ser humano. Basta pouco para programar algo em família. Na verdade, basta querer. Não são grandes viagens; mas momentos intensos vividos juntos nestes dias onde possivelmente todos gozam de férias.

Cuidar da saúde: Bom também seria tirar uns poucos dias para os exames de rotina. Cuidar do corpo que precisará ter forças suficientes para enfrentar os desafios do novo ano;

Viver com propósitos: Um pequeno plano de vida não faz mal a ninguém. Nada de esquemas rígidos e fechados; mas alguns objetivos, virtudes e propósitos a serem alcançados devem nos motivar quando as dificuldades chegarem;

O justo descanso: Descansar é sempre necessário e salutar. Repousar ao menos dois ou três dias é uma necessidade neste tempo presente. Fazer memória de como Deus, em sua fidelidade e providência, tem me ajudado; permitir a alma descansar em Deus, entregando a Ele as preocupações;

Boas leituras, sobretudo a Escritura: O tempo das férias pode ser propício para as leituras que enriquecem e fortalecem nosso espírito. Recordo de um pedido do Papa Bento: Leiam integralmente os pequenos livros da Bíblia durante as férias!

Visite parentes e amigos: Aproveitar o tempo livre para viver a “cultura do encontro” visitando pessoas que você não vê há algum tempo é um ato salutar;

Praticar obras de misericórdia: Como bons católicos, em comunhão com o Ano Santo da Misericórdia, o exercício das obras espirituais e corporais de Misericórdia pode ser um ato concreto para nossa vivência de férias verdadeiramente cristãs;

Participe da Santa Missa em Igrejas que você ainda não conhece: Ao fazer tua programação semanal ou mensal de férias, priorize a Santa Missa dominical, e, se puder, vá a uma Comunidade Católica diferente para perceber a riqueza e a diversidade da nossa Igreja. Se estiver em um grande centro onde tenha a Catedral, visite a Porta Santa neste Ano da Misericórdia!

Que a Fé no Deus Vivo e Verdadeiro nos diga que Ele nos acompanhará todos os dias deste ano que começamos. Sustentados pela Esperança, caminhemos na certeza de que é Fiel Quem fez a Promessa! Oh não! Ele Não dorme, nem cochila! O Seu Espírito virá em socorro à nossa fraqueza! Caminhemos, ao longo deste ano, Ano da Misericórdia, certos de que a alegria de Deus é nos perdoar e fazer em nós, como em Maria, maravilhas!”

Padre Dudu

P_20151205_195817_1_p

O CRIAR é uma escola com Alma e espírito na busca pela perfeição

No último sábado, dia 05/12/2015, a Escola Criar realizou seu tradicional evento do encerramento do ano letivo, com o tema: – PAZ.

Como a proposta da escola, que é educar com inteligência, o Criar inovou toda a logística do encerramento esse ano, dividindo-lhe em duas partes.  Assim, o evento foi mais objetivo e participativo, além de ter facilitado a vida dos visitantes desde o estacionamento até as acomodações de praxe.

Pessoalmente, o principal evento da noite foi a entrega do livro e do primeiro certificado simbólico da minha filha, que ingressará na 2ª série em 2016. Entretanto, houve um momento em que, literalmente, fiquei emocionado, tendo em vista que não é comum ver uma classe inteira da 5ª série cantar na linguagem dos sinais (LIBRAS). As luzes piscavam e evidenciavam as luvas. As crianças expressavam a emoção em movimento.

Houve um terceiro momento emocionante, quando, no intervalo de uma apresentação para outra, colocaram o discurso do filme “O Ditador”,  de Charles Chaplin, falando sobre o preço da paz, bem como, criticando a exploração do trabalho humano em sua época. Simplesmente, a equipe do Criar conseguiu expressar parte da sua proposta epistemológica e pedagógica, com substância e substrato.

Por fim, não existe qualquer instituição de ensino, na região, que se aproxime da materialidade do conhecimento prático e teórico que o Criar se propôs realizar dentro do construtivismo. O encerramento do ano de 2015 deixou bem claro que uma escola pode e deve ter a melhor estrutura física e ambiental possível, com salas climatizadas, quadra de esporte, atividades extracurriculares tais como ballet, natação e lutas marciais, como o mercado tem exigido para que as escolas se apresentem com “qualidade”. Todavia, a escola precisa ter alma e espírito. Ela precisa ter uma missão, visão e objetivos. Ao ver a resposta da minha filha ao método da alfabetização e a propriedade das turmas mais avançadas, eu não posso deixar de manifestar minha certeza de que a Sophia está no lugar certo.

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior