Posts

11214326_1693601604201946_8722041293735222607_n-700x300

Virada Cultural em Rio Bonito: Participe e mostre sua arte

11953573_954073424660197_6715601068809204650_o

“Programação – VIRADA CULTURAL MUNICIPAL DE RIO BONITO- RJ

 

DIA 02 DE OUTUBRO

 

*Circuito Literário- Tenda com títulos a venda e títulos para empréstimo. Espaço para leitura. Das 08h às 19h na Praça Fonseca Portela.

 

*Oficina de Origami- Na Pinacoteca às 10h.

 

*Apresentação de ballet com o grupo do CRAS– coreografia de Larissa Miguez na Praça Fonseca Portela às 14h e 10 min.

 

*Oficina de Origami– na Pinacoteca às 14h.

 

Oficina de Improvisação- Praça Fonseca Porteladas 14h e 40 min às 15h e 20min.

(Jogos teatrais e fundamentos da improvisação, ministrados por Bruno Comitre).

 

Exposição de Palhaços– Praça Astério Alves das 15h e 20 min até 15h e 50 min.

(palhaços desenvolvem pequenas partituras corpóreas, como: tirar um chiclete da boca, amarrar um tênis, fugir de uma mosca).

 

Katia e banda– Praça Fonseca Portela às 16h.

 

Conto no Ponto– Praça Fonseca Portela das 16h às 19h.

(micro histórias, micro contos, e causos curtos contados por ator aos ocupantes do ponto de ônibus).

 

Sombras na Praça– Praça Fonseca Portela das 16h às 17h.

(atores vestidos com roupa preta imitam as pessoas que circulam pela praça).

 

Workshop de Fotografia– Praça Fonseca Portela das 16h às 17h.

 

*Exposição de Acervo Permanente– Pinacoteca Municipal das 10h às 20h.

 

Flash Mob.- Praça Fonseca Portela às 17h.

(coreografia na rua).

 

Flash Mob.- Praça Astério Alves às 17h e 15 min.

(coreografia na rua).

 

Andarilhos da Poesia– Praça Fonseca Portela e Mercado Municipal das 17h às 18h.

(poemas e pensamentos proferidos por dois andarilhos que circulam pela Virada Cultural).

 

*Apresentação Musical– Tião e Dansol no Coreto da Praça Fonseca Portela às 17h

 

Roda de Capoeira– Praça Fonseca Portela a partir das 18h.

 

*Apresentação de Dança do Ventre com Sophia de Paula– Palco principal às 22h e 30 min. Praça Fonseca Portela.

 

*Festival da Canção– Praça Fonseca Portela das 20h às 23h.

 

*Espetáculo Teatral, classificação 14 anos- “Caminhos de Mulheres”- espaço de artes às 22h. (Aborda o tema; violência contra a mulher).

 

*Sarau literário com Juka Goulart e artistas regionais– Coreto do Mercado Municipal a partir das 23h.

 

*Cine Pracinha– Cinema na Madrugada na Praça Fonseca Portela a partir das 23h e 30 min.

 

DIA 03 DE OUTUBRO

 

 

*Brinquedos infantis na Praça Fonseca Portela– o dia todo.

 

Oficina de Confecção de Instrumentos Musicais– Coreto da Praça Fonseca Portela a partir das 11h.

 

Fast Draw– Praça Fonseca Portela das 16h até 16h e 30 min.

(pequenos rabiscos feitos pelo público são transformados em arte por um desenhista).

 

Caricaturas– Fonseca Portela das 16h e 30 min às 17h.

 

Flash Mob.- Praça Fonseca Portela às 17h.

(coreografia na rua).

 

*Espetáculo Teatral: “Os Fabulosos Pronta- Entrega”– Praça Fonseca Portela às 17h e 30 min.

 

Coral no Coreto– Praça Fonseca Portela a partir das 18h.

 

Solo Ana Raquel Couto e Ricardinho– Coreto na praça: Fonseca Portela, Voz e violão às 18h e 30 min.

 

*Festival da Canção– Praça Fonseca Portela das 20h às 23h.

 

*Apresentação de Dança do Ventre com Sophia de Paula– Palco principal às 19h e 30 min. Praça Fonseca Portela.

 

*Folia de Reis– Da Praça Astério Alves até a Praça Fonseca Portela das 23h às 0h.

 

*Hip Hop– Escadaria do Hospital Darcy Vargas- das 18h às 20h.

 

*Roda Cultural– Praça da Bandeira a partir das 22h.

(atrações como banda de rap, banda de reggae, batalha de mc’s e microfone aberto ao público durante toda a madrugada).

 

Conto no Ponto– No ponto de ônibus do Mercado Municipal das 10h às 13h.

(micro histórias, micro contos, e causos curtos contados por atores aos ocupantes do ponto de ônibus).

 

*Karaokê- Praça Fonseca Portela das 17h às 20.

 

DIA 04 DE OUTUBRO

 

*Festival de Bandas Escolares Municipais- Praça Fonseca Portela às09h.

 

Exposição de Telas Constr. Arte- Praça Fonseca Portela das 09h às 12h.

 

Música ao vivo com Kátia e banda– Pinacoteca às 11h.

 

*Contação de História– “Conto das Matas” no Coreto da Praça Fonseca Portela às 10h com Virgínia.

 

Work in Progress de Pintura– Praça Fonseca Portela das 09h às 12h.

 

*Pollock pelo Povo (grande tela pintada pelos visitantes. Técnica de gotejamento)- Praça Fonseca Portela das 09h às 12h.

 

*- Sinaliza que esta atividade é convidada e não pertence ao Projeto: Construindo Arte.”

 

Secretaria Municipal de Cultura de Rio Bonito.

1da7a0ac7a34d319d36fde2ba2a083ea_XL

Prêmio Pascoalino é um divisor de águas na vida do artista

Arielen Lefay Helayel: "Sabe o que são esses objetos em minhas mãos? São troféus que ganhei em 2013 no Prêmio Pascoalino, o festival de teatro da FETAERJ, o mesmo festival que vamos receber em Rio Bonito do dia 25 de julho até o dia 2 de agosto. Assim como eu, muitos outros riobonitenses já ganharam prêmios nesse festival, procure saber e vocês irão se surpreender com a quantidade de Pascoalinos que temos em nossa cidade."

Arielen Lefay Helayel: “Sabe o que são esses objetos em minhas mãos? São troféus que ganhei em 2013 no Prêmio Pascoalino, o festival de teatro da FETAERJ, o mesmo festival que vamos receber em Rio Bonito do dia 25 de julho até o dia 2 de agosto. Assim como eu, muitos outros riobonitenses já ganharam prêmios nesse festival, procure saber e vocês irão se surpreender com a quantidade de Pascoalinos que temos em nossa cidade.”

“Faço teatro oficialmente desde 2004, o meu mentor no teatro, Juka Goulart, sempre me falava de um festival de teatro chamado  Prêmio Pascoalino, da FETAERJ.  Ele falava tão maravilhado, com tanto prazer, que me fazia ter vontade de participar desse momento tão único que ele descrevia, onde o mesmo dizia que sentia vontade de chorar toda vez que acabava.

Eu só consegui ir para o tal festival em 2011…

O que aconteceu?

Descobri o que é teatro de verdade e me apaixonei mais ainda!

O Prêmio Pascoalino se tornou um divisor de águas para mim. Onde pude me encher de arte, assistindo espetáculos todos os dias, debater sobre ele, oficinas que me trouxeram mais conhecimento… Eu respirei teatro intensamente por dez maravilhosos dias e chorei quando acabou.

Imagina um lugar onde se tem gente de todo o tipo, idade, crença, mas com a arte como prazer comum.

Todos os anos quando acaba o festival, da aquela dor no coração.  Se despedir dos amigos que provavelmente só terá a oportunidade de rever no próximo festival, de amigos que você fez e de repente não verá nunca mais, porém aparece o entusiasmo para os preparativos do ano seguinte.

Não consegui parar de ir, todo ano vou ao festival desde então. Ano passado, inclusive, levei o meu filho que só tinha 3 meses e minha mãe, que disse querer também participar todo ano.

A cada dia do ano conto quantos dias faltam para o festival e esse dia está chegando.

Esse ano, não farei malas para ir ao Prêmio Pascoalino, pois terei o prazer de receber esse momento mágico e singular em minha cidade.

Seja bem vinda FETAERJ a Rio Bonito.

Evoé!”

 

 

Por Arielen Lefay Helayel

486ffb92a30d294c4c276471555246a0

Zeca Novais: – Como as coisas funcionam por aqui…

Zeca Novais e a arte pulsando na veia.

Zeca Novais e a arte pulsando na veia.

“Acabo de receber a notícia de que a Prefeitura Municipal de Rio Bonito está agitando um evento de teatro aqui na cidade em julho, através das Secretarias Municipais de Educação e de Cultura.

Coincidentemente, essa agitação “espontânea e repentina” se deu logo após a participação do Lona na Lua no Caldeirão do Huck, da Tv Globo.
Toda produção cultural em uma cidade em que há decadas não há oferta de cultura, lazer e entretenimento à população é válida.
Entretanto, o que me deixa indignado é que o Lona na Lua, hoje exemplo de empreendedorismo social em todo o Brasil (em todo o Brasil!), não recebe apoio do poder público dentro de sua própria cidade e tem que assistir a Prefeitura apoiar iniciativas de fora vindo pra cá.
A Secretária de Cultura do município há bastante tempo vem fazendo uma administração sofrível, baseada em chás literários para inglês ver e em eventos vazios fadados ao fracasso.
Aqui as coisas funcionam assim.
Não há natal, não há carnaval, não há festa de aniversário da cidade, nem desfile cívico.
Sábado, o grande Poeta Leir Moraes faleceu, e sequer foi decretado luto oficial por parte da Prefeitura Municipal.
O governo municipal apoia quem vem de fora, numa tentativa frustrada de tentar maquiar vexames de uma administração pífia e desorganizada, que persegue e tenta castrar qualquer organização que atua de forma independente.
O Lona na Lua tem por DIREITO receber R$ 80.000 (oitenta mil reais) de subvenção da Prefeitura Municipal de Rio Bonito para manutenção das atividades em seu Espaço Cultural, e até hoje (já estamos no meio do ano), nenhuma parcela deste valor nos foi repassada.
Essa subvenção foi aprovada pela Câmara de Vereadores no ano passado e está prevista no orçamento de 2015.
Não me causaria espanto saber que a Prefeitura anda investindo em iniciativas forasteiras que só vem aqui para sugar o município, que não dá conta nem de apoiar os artistas locais.
Tenho muito orgulho em ter colocado o nome do Rio Bonito em evidência para todo o Brasil, e em breve estaremos levando o nome de nossa cidade para Berlim, na Alemanha, a convite do Nobel da Paz Muhammad Yunus, mas aqui, justamente aqui, somos tratados desta forma.
Triste e decepcionado.
Isso precisa acabar.”

Zeca Novais

10959933_778690422218493_8151570280048664264_o

O Sr. X, a história dentro de outras histórias

“O ser humano é algo especial. Especial pelo simples fato de ter a capacidade de armazenar emoções. Não só armazenar como também identificar situações e reviver as emoções.

E entre todos os seres especiais, encontramos os especiais nos especiais. Estes além de armazenar, identificar, reviver. Recriam e/ou criam, vivem emoções que não são delas, e sim para os outros.

Foi o meu caso ao criar a personagem “Sr.X”. Veio em forma de desafio, pois me foi pedido uma história para apresentar para as crianças. Naquele momento eu não tinha nada.

E o “Sr.X” nasce como um estalo, e das minhas lembranças me vieram as emoções de quando um dia fui criança.  Veio em forma de avalanche, quase um surto, uma catarse.

“Sr. X” se apresenta em minha mente como um ser intergaláctico, revirando as minhas memórias, e aguçando a sua curiosidade em saber mais e mais, conhecer esse nosso mundo.

Um mundo lindo, porém complexo e confuso. Encontrou nas minhas emoções armazenadas tantas crianças que convivi, e que já fui, acompanhada de uma enorme vontade de mudar o mundo.

Provocou a minha alma. Tive que criar uma personagem que tem em sua essência a curiosidade a espontaneidade de uma criança.

E logo se identificou e se encantou com elas, as crianças.

E juntos delas conhecer sentimentos e reviver emoções.  E ao lado das crianças sonhar com um mundo melhor.

“sonhar sozinho é apenas um sonho, sonhar acompanhado é realizar.”

“Sr. X” nasce com esse propósito, estimular realizações. Com um encanto especial ele toca as almas das crianças, e dos adultos que mantém viva a esperança de sonhos de quem ainda mantém nas suas lembranças, a criança que um dia foi.

E eu agradeço esse novo ser que se instalou em minhas histórias e que fará parte das minhas lembranças, seja bem vindo “Sr.X”.”

 

 Por Raimundo Ribeiro