Posts

Ricardo Abrahão.

Ricardo Abrahão, o idealista que valoriza as comunidades e os universitários

O empresário, Ricardo Abrahão - 29/06/2016.

O empresário, Ricardo Abrahão – 29/06/2016.

Seguindo o projeto da construção do perfil político rio-bonitense para as Eleições Municipais de 2016 para a Câmara Municipal, apresentarei o perfil do pré-candidato a vereador, Ricardo Abrahão Flores, filiado ao PPS (Partido Popular Socialista), com 34 anos de idade, casado, pai de uma filha, técnico e empresário de MMA da equipe UBFTeam, realizando eventos esportivos e culturais na cidade, desportista, músico, corretor de imóveis e designer. Envolvido com os bastidores da política há mais de 15 anos, atuando sempre na área da coordenação e do marketing político e eleitoral, depois de avaliar o cenário, o pré-candidato resolveu se candidatar a vereador, motivado pela necessidade da renovação na Câmara Municipal e a construção do perfil ideológico forte e comprometido com a cidade e o bem comum nas políticas públicas.

Embora o pré-candidato esteja filiado ao PPS, sua postura está mais próxima do PSOL (Partido Socialismo e Liberdade), uma vez que ele propõe o mandato coletivo, que consiste na formação de um conselho, constituído por pessoas técnicas das diversas áreas e representantes de classes e localidades, para que, as decisões sejam tomadas em conjunto, de forma contingencial e racional, vislumbrando a melhoria da qualidade de vida na sociedade e nas comunidades. Todavia, a singularidade das suas propostas ficam mais claras, quando ele apresenta a dinâmica das reuniões periódicas com a população, objetivando a comunicação contínua com as comunidades e as associações, para de entender as necessidades e apresentarem as soluções aos problemas. Em suma, enquanto o político veterano e tradicional desaparece da sociedade que o elegeu, o Ricardo Abrahão defende sua permanência e representatividade nas comunidades, participando e se inteirando do seu cotidiano.

Quanto ao transporte universitário, o pré-candidato mantém sua posição completamente favorável à aquisição da frota, tendo em vista que a diferença é enorme e gritante, quando são comparados os orçamentos da compra dos ônibus com os custos do contrato de locação ao longo do atual mandato (2013 a 2016). Dessa forma, o Ricardo Abrahão já deixa expresso seu apoio aos universitários rio-bonitenses.

Por fim, o pré-candidato apresenta o perfil inovador, transparente e engajado nas políticas públicas, demonstrando total conhecimento das funções e das responsabilidades do vereador, que se baseiam na criação das Leis, através dos projetos de lei, e na fiscalização do Poder Executivo, acrescentando, por sua ideologia social e política, a participação da sociedade durante o processo contínuo na construção da cidadania.

Por Nadelson Costa Nogueira Junior

Reunião sobre transporte universitário com o presidente da câmara de tangua, Luciano Lúcio, em 19/02/2016.

Luciano Lúcio, Ricardo Abrahão e a reunião em busca das soluções ao transporte universitário riobonitense

A ausência do Governo e da Câmara Municipal, nos últimos anos, levou a município de Rio Bonito à decadência, enquanto que os municípios vizinhos, tais como Tanguá e Silva Jardim conquistaram parte dessa energia no crescimento econômico e social, através das políticas públicas.

Desde o momento que Luciano Lúcio (PSDB) assumiu a presidência da Câmara Municipal de Tanguá, a cidade passou a gozar do exercício da transparência e da participação popular, através da comunicação formal e das redes sociais, aproximando a sociedade do governo e das políticas públicas.

O sucesso do trabalho desenvolvido no município vizinho foi tão elevado, que a nova geração dos líderes comunitários e pré-candidatos  está fazendo questão de quebrar os muros ideológicos, políticos e partidários, em nome da aprendizagem e do bem comum. E assim, seguindo o mesmo propósito, Ricardo Abrahão (PSOL) marcou sua presença na Câmara Municipal de Tanguá, no dia 19/02/2016 (Quinta-Feira), às 09:00 horas, motivado pelo problema no transporte universitário, que está afetando Rio Bonito e Tanguá.

Em conversa informal com o Ricardo Abrahão, o jovem me demonstrou entusiasmo com a reunião, enquanto que ficava evidente a grande diferença entre a postura dos governos dos dois municípios sobre o transporte universitário:  – Tanguá demonstra boa vontade no diálogo e na solução dos problemas, materializando as ações através das reuniões com os universitários, o  presidente da Câmara Municipal e o Prefeito, Valber. Em Rio Bonito, por outro lado, não há diálogo e boa vontade por parte do governo, que sempre utiliza o tom da ameaça, que atrapalha a comunicação entre a prefeita e os universitários.

Luciano Lúcio indicou um bom exemplo de liderança, participação social e cidadania, quando uma aluna, representando todos os universitários, redigiu um documento detalhando todos os problemas. A partir disso, o Prefeito e a Câmara dos Vereadores trabalham nas soluções, demonstrando o comprometimento de todas as partes, mesmo diante das dificuldades.

Para Ricardo Abrahão, o transporte universitário pode ser igual ou melhor que o modelo de Tanguá, desde que os estudantes se organizem continuamente, constituindo a unidade em nome da causa, para garantir a continuidade e a qualidade do serviço às futuras gerações, através das políticas públicas, baseadas na comunicação transparente entre a sociedade e as instituições políticas.

Não poderia terminar este artigo, deixando de expressar o fato de que a cidade de Rio Bonito necessita de uma Câmara Municipal mais ativa e participativa, com novas ideias e dinâmicas nas políticas públicas, que lute pela cidade e enfrente o Poder Executivo, quando este não estiver trabalhando corretamente. Todavia, ouso discordar do Ricardo, quanto à unidade dos universitários, tendo em vista que a maioria deles quer garantir o uso do transporte para atender suas necessidades momentâneas, enquanto que acreditam que, com a redação de um documento, poderão transformar o transporte universitário riobonitense em política pública continuada. Todavia, a Câmara Municipal está sem boa fé e vontade para resolver o problema, enquanto que somente o Poder Executivo pode apresentar Leis que geram custos ao erário público. Logo, clamo para que a luz da sabedoria paire sobre as mentes da nossa juventude, e que a mesma se permita conhecer as soluções dos nossos vizinhos, além de assumirem o fato de que não haverá conquista ou glória, sem o pagamento da luta e da organização.

Ironicamente, a criança, chamada Tanguá, está ensinando a velha, Rio Bonito, como renovar.

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior