WhatsApp Image 2016-09-14 at 22.24.17

URGENTE: Mandiocão entrou com o recurso ao indeferimento da sua candidatura

A opinião pública está completamente perdida com os ruídos provocados pelos grupos políticos, quando o assunto é a inelegibilidade do Mandiocão, que sofreu duas derrotas judiciais essa semana, uma na justiça comum, na ação que indeferiu o pedido liminar para anular a sessão da Câmara Municipal de Rio Bonito, que reprovou suas contas em 2013, enquanto que a outra foi na justiça eleitoral, com o indeferimento da sua candidatura, cuja atual fase é a recursal. Enquanto isso, o candidato e os membros da sua coligação estão realizando os comícios e mantendo a tese de que ainda estão na disputa, enquanto que darão um jeitinho para resolver tudo, caso sejam os vencedores nas urnas. Todavia, a probabilidade do Mandiocão sair da previsão do artigo 31,§2º da Constituição Federal e da Lei da Ficha LC 64/90 é muito improvável, tendo em vista que, conforme a tese apresentada pelos grupos políticos, sua defesa está pedindo o cancelamento da sessão que reprovou suas contas, baseada na tese de que não foi realizado o protocolo do regimento interno da casa legislativa, quando, contraditoriamente, a sessão foi anunciada e publicada na ordem do dia, o candidato foi notificado e se fez presente para se defender, levando, consigo, o advogado e a ex-controladora. Assim sendo, conforme a jurisprudência majoritária, o Poder Judiciário só anularia a sessão no caso do cerceamento da defesa do candidato, o que não aconteceu, enquanto que tudo foi registrado em ata, com áudio gravado, além da cobertura direta do jornalista Flávio Azevedo. Logo, ao meu ver, o candidato está somente ganhando tempo para levar sua chapa e a legião dos seus seguidores à anulação dos votos no dia da eleição, enquanto que sua inércia, nos últimos três anos, já demonstra a pouca importância da matéria por parte do ex-prefeito.

Estratégias jurídicas à parte, eu vou convidar o leitor a me acompanhar no raciocínio político de que todo esse esforço se tornará inútil se o candidato ficar em segundo lugar nas urnas, o que levaria o Mandiocão a provar duas derrotas ao mesmo tempo. Por outro lado, considerando as perseguições políticas praticadas pelos dois principais grupos políticos, quando assumiram suas posições nos governos nos últimos 24 anos, o indeferimento da candidatura do Mandiocão inclinaria a maior parte do seu eleitorado para a abstenção ou ao apoio ao deputado estadual, Marcos Abrahão, tendo em vista que seu grupo é pequeno, enquanto que a água e o azeite não se misturam. Logo, a insistência do candidato em ganhar tempo neste pleito beneficia o candidato da situação, Marquinho Luanda, diminuindo a margem do voto contra seu oponente Marcos Abrahão.

Pessoalmente, eu queria muito que o Mandiocão continuasse na disputa, só para ver o resultado. Por outro lado,  não poderia deixar de atentar para o fato de que temos o candidato do PDT, Carlos André, que está aparecendo nas pesquisas, se tornando uma ameaça potencial aos planos dos tradicionais grupos políticos.

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior

Comentários