urgente

URGENTE: Mandiocão sofre a primeira derrota contra a soberania da Câmara Municipal

WhatsApp Image 2016-09-12 at 20.58.38 WhatsApp Image 2016-09-12 at 20.58.53Como havia escrito antes, já era esperado que o candidato, José Luiz Alves Antunes, o Manidocão, seguiria em frente com sua suposta candidatura nas Eleições Municipais em 2016, mesmo com a inelegibilidade fundamentada no artigo 31, §2º, da Constituição Federal e a Lei da Ficha Limpa. Em suma, o dia se findou, enquanto que o prazo para a mudança da chapa também.  Até o momento, o site do TSE ainda não disponibilizou a atualização sobre a situação eleitoral do candidato, que, conforme os analistas jurídicos, é objetiva e certeira pela manutenção da inelegibilidade.

O mais interessante é que o Mandiocão entrou com o processo No 0004848-28.2016.8.19.0046, objetivando anular a Sessão da Câmara Municipal de Rio Bonito que reprovou suas contas em 2013, cuja única hipótese seria alegar ausência da defesa, o que não poderia ser aplicado, tendo em vista que o ex-prefeito esteve presente, acompanhado do advogado e da ex-controladora, enquanto que tudo foi documentado em ata, gravado em áudio e propagado pela cobertura do jornalista Flávio Azevedo. Assim sendo, o pedido liminar do autor foi indeferido, enquanto que o processo seguirá o trâmite normal, quando as partes serão citadas e apresentarão as contestações, que quebrarão as teses sustentadas, com muita facilidade. Assim, antes mesmo da sentença eleitoral ser publicada, o Mandiocão já sofreu sua primeira derrota, ficando sem a base judicial para garantir as liminares e sustentar as tentativas em passar por cima da soberania da Câmara Municipal e do povo riobonitense, que ela representa.

No mais, assim que tivermos mais informações do TSE, sobre a candidatura do Mandiocão, informaremos a opinião pública, objetivando acalmar os corações dos aflitos e dos seguidores do candidato.

Por fim, o Café Poético e Filosófico agradece pela audiência, que está na casa das 19.300 visualizações até o momento, e subindo.

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior

Comentários