Posts

despedida

A Hora da Partida

O momento da partida sempre é difícil para quem fica e para quem parte, porque, por mais que a sociedade se sustente no individualismo como a unidade mínima, sempre ficarão os fragmentos das impressões e das experiências de uma pessoa para outra.

Somos viajantes do tempo e das emoções, transferindo a bagagem continuamente com o próximo. Ora temos a sobrecarga do peso, ora não temos peso algum. E assim, vamos compensando uns com outros e vice-versa, numa solidariedade que se prende ao afeto e à afinidade, porque, no final, aquilo que parece ser o sacrífico ou um castigo, pode ser a oportunidade do ajuste e da aproximação.

Ninguém disse que a partida seria fácil, mas temos que ir, sem data, local e hora anunciados pelo além. Logo, é importante praticar a justiça, o respeito, o arrependimento e o perdão, devendo lembrar que a vida precisa ser sincera e plena, porque o corpo possui prazo de validade e, ao contrário do espírito, sua essência é mortal.

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior : .

Rio Bonito, 14 de julho de 2018.

 

charuto-revista-eno-estilo-3

Ingênuo

Apostei no jogo da vida.

Dei minha fé e esperança como garantia,

Porque não havia outra forma para mudar.

Mas, desistiram do jogo, antes do começo.

Assim, Acendi um charuto e o traguei.

O alcatrão e a nicotina agarram na garanta,

Uma vez que o nó não poderia ser mais desfeito,

Enquanto que me satisfazia com o maldito pigarro.

Não foi desencanto de amor,

Nem a tristeza da solidão.

Na verdade, eu esperava o salvador,

Quando, diante da multidão,

Vinha-me a certeza de que o sacrifício era meu…

E de mais ninguém.

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior