Posts

descubra-como-era-saude-e-medicina-no-antigo-egito

A Múmia do Faraó

Retiraram suas vísceras.

O cérebro foi dissolvido em doses homeopáticas.

Havia total integridade nas têmporas,

Salvo o buraco da sucção hemorrágica.

Como uma obra de arte,

A carne foi convertida em cerâmica.

O corpo foi dissecado por milímetros

E enrolado por várias ataduras,

Compondo um casulo humanoide,

Que aguardava o nascimento da nova criatura,

Recebendo os cuidados de um ovoide.

A múmia era o início da conexão,

Cuja jornada não podia contar com a sorte,

Porque Anúbis cobraria o seu quinhão,

Enquanto que não havia plenitude para os pobres.

Uma vez servo e escravo na vida,

A mesma condição se perpetuaria na morte,

Porque o barco precisava navegar pelo infinito,

Enquanto que alguém teria que remar

E carregar os tesouros do Faraó,

Reproduzindo àquilo que é egípcio

E todos os abusos que ocorreram no leito do Nilo.

Logo, observe atentamente ao seu redor.

Trabalhe para atender os caprichos do Estado

E acumule para obter a concessão dos deuses.

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior : .

Rio Bonito, 07 de agosto de 2018.

qual-a-diferenca-de-perfil-e-pagina-no-facebook

Influência do Facebook no marketing digital e nos negócios no Brasil

Conforme o estudo desenvolvido pelo Scup em 2014, envolvendo 209 profissionais que compartilharam suas opiniões sobre o papel do Facebook no futuro do marketing digital, foi concluído que 90% dos profissionais o consideram a principal plataforma de estratégia de rede sociais das agências e empresas, enquanto que a ferramenta se tornará relevante em 36 meses, para 41,15%.

Os maiores benefícios do Facebook são:
Aumenta a visibilidade das suas ações de marketing 80,86%
Aumenta o tráfego dos seus sites 49,28%
Insights para melhorar os produtos e serviços 51,20%
Gera advogados e fidelidade à marca 31,58%
Gera Leads 26,79%
Gera novos negócios (vendas) 24,40%
Não traz benefícios 2,87%

 

O Facebook está morrendo.
Discordam. 45,93%
Discordam fortemente. 12,92%
Não tem certeza. 30,62%
Concordam que o Facebook está morrendo. 9,57%
Concordam Fortemente que o Facebook está morrendo. 0,96%

 

MELHORES HORÁRIOS PARA POSTAR NAS REDES SOCIAIS
INÍCIO FIM DIAS IMPORTANTE
FACEBOOK 13:00 17:00 Segunda à Sexta. O horário de maior audiênica é as 15:00 às quartas feiras.
INSTAGRAM 17:00 18:00 Segunda à Sexta. Aos sábados e domingos, entre as 17:00 e 18:00 há interação maior.
PINTEREST 14:00 16:00 Segunda à Sexta. O horário das 20:00 até as 23:00 nos dias úteis é muito útil para alcançar mais audiência.
TWITTER 13:00 15:00 Segunda à Quinta. Tweets com menos de 100 caracteres geram mais audiência que os tweets longos.

 

A pesquisa concluiu que 43,54% dos profissionais pretendem aumentar os investimentos no Facebook nos próximos 03 meses, enquanto que 33,97% manterão os investimentos atuais. Em contrapartida, 3,35% diminuirão os investimentos, enquanto que 19,14% não investem. O interessante é que salvo a resistência comum dos 19,14% supramencionada, ninguém afirmou que deixaria de investir no Facebook. Em suma, a ferramenta conquistou o mercado das marcas e dos negócios, se tornando um caminho consolidado.

Por fim, cabe ao leitor e ao investidor analisarem até que ponto a quantidade cobre a qualidade além dos gráficos e dos indicadores, bem como até que ponto o investimento se torna um caso de sucesso em relação ao lucro, à propagação da marca e as variações nas relações do consumo, cujos gráficos representam os fluxos e as densidades. Todavia, a compreensão do comportamento e o perfil do consumidor  é o elemento mais importante, se transformando no diamante nas relações virtuais.

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior

Gestor das Redes Sociais

 

 

 

 

 

 

 

 

fidel-castro-john-f-kennedy

Morre Fidel Castro, deixando um vazio na história

Che Guevara e Fidel Castro - Registro Fotográfico da Revolução Cubana.

Che Guevara e Fidel Castro – Registro Fotográfico da Revolução Cubana.

Neste sábado, dia 26/11/2016, acordo com a notícia de que a lenda das américas e da época áurea do comunismo faleceu, deixando um legado complexo e um espaço impreenchível na história contemporânea: – Fidel Castro, o homem que foi pensador, idealista, soldado, guerrilheiro e que enfrentou o sistema capitalista a partir de uma pequena ilha, localizada na américa central, conhecida como Cuba, que se tornou a última resistência real e ideológica do socialismo dentro do mundo contemporâneo.

Fidel Castro esteve por 48 anos consecutivos sob o comando de Cuba após a revolução, combatendo as ideologias diversas, as religiões, a homossexualidade e a liberdade de expressão, cumprindo, para muitos, o papel do ditador opressor e que estava isolado do mundo e de sua própria sociedade. Bem, pelo menos é isso que a imprensa brasileira e a maioria dos internautas da nação verde e amarelo falam nesse exato momento, reduzindo a imagem do idealista e do guerrilheiro à profundidade dos seus acusadores. Mas, Fidel Castro fez parte da história e será lembrado como uma das poucas personalidades, retratadas pelas revistas científicas e as bibliotecas universais, que impactaram o mundo de forma política, econômica, religiosa e militarmente, sendo-lhe a última personalidade de década de 50 que descansará através do sono dos justos, quando os outros percussores do seu tempo terminavam mortos nos seus lares, nos hotéis ou, até mesmo, pregando a palavra de união entre as raças e os povos, recebendo a rajada de uma metralhadora dentro de uma mesquita americana.

Depois da crise dos mísseis na década de 1960, o investimento estrutural pesado do governo americano em Guantánamo e Porto Rico demonstram que uma ilha resistiu ao bloqueio comercial, além de manter viva a chama da ideologia contrária ao sistema que vivemos. Logo, seria um erro limitar o Fidel Castro ao patamar do ditador, do genocida ou de qualquer outra coisa que o leitor, que não estudou história, queira condicionar, por indução de uma ideologia que foi implantada no Brasil ao longo das décadas, objetivando estabelecer uma única corrente do pensamento econômico, político e filosófico.

Por fim, não nego que o Fidel Castro sacrificou a nação cubana, levando seu povo ao limite da existência e da resistência humana. Mas, se você não acredita que comunista come criancinha, concluirá que o ditador determinou o deslocamento dos porta-aviões, da indústria do petróleo e do próprio sistema de vigilância americano, além das investiduras diretas da CIA, objetivando monitorá-lo 24 horas por dia. Assim, é justo afirmar que morre uma das maiores personalidades do século XX e talvez do século XXI, conforme o New York Times, o Discovery e o History Channel, enquanto que sua morte ocorreu na velhice e na naturalidade, que não é algo peculiar à ideologia socialista e ao movimento de guerrilha, e pode ser considerado um milagre.

No mais, pitarei o meu cachimbo em sua homenagem, lendo “O Poderoso Chefão” e degustando a famosa Cuba Livre, que contraditoriamente é a mistura da Coca-Cola com o Rum e o limão fatiado, demonstrando a influência cultural de Cuba, principalmente, num período em que falar da esquerda é considerado um tabu no Brasil.

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior

frasedodia22

Minha homenagem ao médico Paulo Cordeiro…

É difícil tecer qualquer comentário em relação aos fragmentos percebidos de uma personalidade, cuja intimidade nunca me foi compartilhada pelos anseios do destino. Mas, a pedido da minha esposa, escreverei, na tentativa de juntar os fragmentos dos relatos e das experiências das pessoas que tiveram a honra de conhecê-lo em vida e que sempre compartilharam dos seus bons fluídos com o mundo.

Como o super-homem estudando e aprendendo o conhecimento do universo no seu Palácio da Solidão, ele se isolou com sua família numa chácara, mas nunca abandonou seu jaleco de médico ou o exercício da caridade, quando solicitado, tanto aos amigos quanto aos estranhos.

Muito além do médico notório, sempre foi evidente a figura humana, paterna e amorosa, que abraçou sua esposa, seus dois filhos e netos, num amor incondicional, que era estendido aos seus amigos, baseado nessa mesma lealdade e confiança. E assim, ele se tornava o conselheiro, o amigo e o pai de todos, auxiliando na renovação cotidiana daqueles mais próximos.

Com a mesma serenidade e dedicação que o Paulo Cordeiro trouxe ao mundo em vida, tenho a certeza que assim o fará após a travessia ao plano espiritual, porque a morte é a passagem da consciência e da própria existência para outro nível da realidade, que está diretamente ligado ao nosso, como a doutrina de dois mundos. Logo, não tenho dúvida de que ele continuará vestindo seu jaleco branco, exercendo a medicina na caridade, auxiliando seus pares e o nosso Hospital Regional Darcy Vargas.

No final dessa jornada, meu caro leitor, mesmo com os olhos secos ou cheios de lágrimas, não teremos como negar de que foi construída uma corrente do bem, que se propagará por gerações entre seus familiares, amigos e pacientes, porque a luz se propaga e mostra novos caminhos àqueles que estão preparados e anseiam por um mundo melhor. Um milagre foi feito nessa vida, enquanto que somos o resultado e as testemunhas, mesmo que tenha sido no anonimato.

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior

tortura

Uma Sessão de Tortura contínua para a Humanidade

Valorizamos a vida de forma demasiada, quando deveríamos valorizar a nobreza na existência por si só. O problema é que a humanidade só se depara com a realeza de tal contradição, quando a guerra está à sua porta, com uma arma mirando seu peito ou a faca tocando sutilmente seu pescoço.

Sob o vício inevitável da morte, até o pior dos seres consegue encontrar a falsa humildade para ludibriar o inquisidor. Mesmo que tenha que se rastejar e entregar todo seu círculo.

A garganta do delator fica seca, enquanto que seus olhos lacrimejam. Suas mãos tremem, enquanto os lábios suplicam pela vida. Quanto maior for o requinte na crueldade, maiores serão os gritos de agonia e súplicas do perdão, cujo merecimento se fez distante do seu testemunho moribundo.

A maioria pensará que estou falando dos vivos, mas não estou, tendo em vista que a morte nesse plano é um rito de passagem para uma dimensão mais densa, profunda e complexa da existência universal, pois existem pessoas que estão vivas, mas já agem como mortas, enquanto que legiões de mortos buscam a vida, para nutrirem suas almas desgastadas pela mentira, pelo ódio, pela dor e sofrimento alheio.

No discurso alegórico das campinas cheias de verde e flores, há uma realidade que os portadores da luz não dizem, alegando a segurança espiritual e o despreparo da maioria dos seres humanos: – Há uma guerra no mundo espiritual, que está muito além do narcisismo individualista ou da propriedade inalienável da sua alma, cuja trajetória é cinza e está muito acima ou abaixo dos conceitos do bem ou do mal ou do certo e errado.

Simplesmente, megalópoles e cidades foram construídas, tendo como ponto de partida a crosta terrestre e os cemitérios. Nelas, são reproduzidas as sensações, os anseios e os delírios da nossa realidade, como um rádio em sintonia com sua estação predileta. As pessoas continuam seus hábitos e se aprimoram, ora para o crescimento da coletividade ou para a diminuição da fé e da caridade. Todavia, a escravidão é uma prática comum diante da crise da energia. Assim, como acontece com os fundamentalistas no nosso mundo, grupos e exércitos são nutridos continuamente no mundo espiritual, objetivando a manutenção da rede psíquica entre os vivos e os mortos, porque nós somos os produtores da matéria-prima que sustenta o caos, através dos nossos sentimentos e do ectoplasma contaminado.

Há um momento, que temos que exercer a faculdade do juízo e decidir entre dar continuidade aos caos, na esperança de que o agente recupere sua luz e retorne à unicidade, ou aplicar a segunda morte, o que declinará na transmutação da consciência da vítima ao plano, cuja matéria não existe, vislumbrando que o milagre ou o total esquecimento da existência aconteçam. A questão é somente uma: – Qual seria o mínimo de humanidade exigido para continuarmos ou desistirmos de uma fonte de informação, cujo ruído e a dúvida se farão constantes, salvo a manifestação da intervenção divina e do milagre por si só? – Não importa. Porque o trabalho precisa ser mantido e propagado, em nome da segurança da maioria, enquanto que todos são vítimas do seu próprio conhecimento.

Por fim, cumpra seu papel legítimo na criação. Seja justo com todos e faça sua parte na manutenção da luz. Evite os atos e as pessoas que poderão colocá-lo numa sessão de tortura, porque o mal se degenera sozinho, até se consumir por inteiro. Logo, ele só continuará, se tiver sua ajuda.

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior

hqdefault

A morte do carnaval riobonitense

O sábado de carnaval demonstrou a face obscura de Rio Bonito, que todos comentam pelas ruas, mas fica difícil de assumir: – A cidade está literalmente abandonada. Foi triste ver as famílias se dirigirem ao Mercado Municipal, na esperança de encontrar, ao menos, um ponto de encontro e de resistência em nome da cultura local, enquanto que a recepção se fazia com o vazio, o silêncio e a tristeza a cada gole da cerveja nos bares. Literalmente, vi os pais retornarem aos seus lares, com o nó na garganta, porque seus filhos e filhas estavam fantasiados de mascarados e princesas, querendo brincar com os amigos.

Ironicamente, o Governo Solange Pereira de Almeida demonstrou incapacidade gestora desde o início, enquanto que o Carnaval da cidade morreu, quando, depois de muito tempo, a Secretaria Municipal de Cultura foi instalada, demonstrando que o dinheiro público não é utilizado com racionalidade ou eficiência, mantendo um grupo de apadrinhados políticos que não fizeram o dever de casa e que não se preocupam com a cidade e sua respectiva sociedade.

A sensação de abandono se fez latente no carnaval de 2016, quando o governo não fez anúncios ou, sequer, se esforçou na tentativa do diálogo e da participação privada na realização do evento no Mercado Municipal. Pelo contrário, o Governo fechou as portas aos blocos e ao movimento popular, porque isso exigiria a disponibilidade da Guarda Municipal, da ambulância do SAMU e do quadro da saúde, que se converteriam nas horas extras, que foram pagas aos apadrinhados ao longo desta gestão, de forma subjetiva e aleatória.

No final, o povo perde de todas as formas.

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior

lápides

A humanidade se confunde nas palavras e nas percepções

Gosto de ler os textos que fazem referência ao fim dos comportamentos humanos no momento da morte, tipo: “Aqui você leva a arrogância, as posses e tudo mais.” Independentemente da premissa ser verdadeira por parte do autor, há algo que tem que ficar muito bem definido para todos: – Quando se morre, a prepotência e a arrogância do defunto se dissolverão ali, no último suspiro. Simplesmente, o corpo se desliga da criação, despencando no chão, quando se está em pé, ou continuando na mesma posição, quando deitado ou sentado. A sepultura só receberá o depósito do corpo, composto de carne e ossos, que, literalmente, passou pelas mãos de muitos conhecidos e estranhos, desde a autópsia até o velório.

Se a ideia do autor do tipo da frase supramencionada é colocar o defunto no mesmo padrão de humanidade e educação esperado e exercido pela maioria, que passou pelo processo de civilização, a imagem da sepultura está errada, porque os homens só são iguais nas suas necessidades fisiológicas.

Considerando toda a hipocrisia humana, pode ter certeza que o corpo do milionário, mesmo depois de morto, terá um tratamento social e fúnebre mais humanizado do que o cotidiano de muitos pobres e membros da classe média que ainda estão vivos. Isso acontecerá, porque existe algo chamado ganância e instrumentos jurídicos, conhecidos como INVENTÁRIOS, ARROLAMENTOS e TESTAMENTOS.

Por fim, depois de escrever o presente texto, não poderia deixar de concluir que o autor do tipo da frase supramencionada passou por traumas, que não foram superados, ou manifestou sua inveja como a última impressão de alguém.

Não sei se é uma regra geral, mas as pessoas arrogantes e prepotentes, que não precisam ser ricas materialmente, terminam suas vidas, dependendo da caridade alheia. Assim sendo, acho que seria politicamente correto afirmar que tais propriedades da personalidade falecem, antes mesmo da morte física. O problema é que a caridade alheia é anônima e silenciosa. Logo, as testemunhas não falam, porque a situação não faz qualquer diferença para a missão de suas vidas.

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior

Night sky June 4, 2001

Assim como são as pessoas, São as estrelas

Hoje, eu compreendo o ciclo de vida das estrelas, embora ainda seja um mistério seu nascimento e morte, mesmo com tantas observações, anotações, análises e teses astronômicas. Simplesmente, elas nascem no meio do vácuo do espaço, onde nada havia. Primeiro, surgem os gases e alguns átomos conhecidos na Terra. Até que seu núcleo se materialize. O interessante é que durante todo o processo há a presença da luz, quando os astros possuem tal natureza.

Dependendo do tamanho da estrela e do movimento orbital do seu berço enigmático, não surge uma, mas várias estrelas e astros, compondo constelações e galáxias. E assim, o universo vai sendo construído no contínuo do espaço, do tempo, da gravidade, da profundidade, da matéria e da antimatéria. Numa compensação sinfônica e imperceptível aos olhos humanos de morte e vida. A estrela morre, quando sua luz se apaga, enquanto que seu núcleo, materializado ou gasoso, se desfaz.

Não sou astrônomo ou astrofísico, mas sempre vi as pessoas como estrelas e constelações. E, no cotidiano, testemunho o início e o fim das dinastias. Para ser mais exato, observo a morte das estrelas humanas, com seus espíritos consumistas, no silêncio do olhar. Na programação social do consumo, a humanidade priorizou o consumismo, e, quando se aproxima da morte, o viajante se consome por inteiro, ora, pela falta do preparo espiritual para jornada natural, ou pelo simples fato de que a programação social fará o Ser Humano se consumir, para compensar o próprio vazio.

Vejo as famílias como constelações, que estão se apagando e consumindo em conceitos sem sentidos e com significado algum. Deveríamos ser estrelas com calor e luz radiantes, mas seguimos a programação de transportarmos a nós mesmos.

Por fim, não me importa a jornada pessoal de cada um. Só gostaria de me limitar à visão do fim da matéria física, permanecendo a luz o calor do meu semelhante como inspiração pelo infinito. O problema é que estou vendo a luz se apagar antes mesmo da matéria física se consumir, enquanto que os portadores seguem adormecidos dentro de suas próprias consciências.

E assim, vou abraçar minha família, visando manter nossa galáxia erguida, tendo em vista que o caos possui um padrão e não pode ser controlado. Isso é nítido nas estrelas e se repete em nossos corpos frágeis, onde não conseguimos controlar nossos batimentos cardíacos e o fluxo sanguíneo, que mantém a máquina humana em funcionamento, até que o coração se desgaste e pare.

 

Nadelson Costa Nogueira Junior

familia-algo-que-nao-vem-do-homem.html

A única regra natural é a divindade da família

Um bom dia, boa tarde ou boa noite. Não importa o horário ou o dia.

Desejo que o seu domingo e o restante da sua vida sejam repletos de alegrias e que possas compartilha – las na plenitude, com sua famíla. Todavia, se você estiver num momento de tristeza e reflexão, mão se deixes abater pelos problemas do mundo, e viva, se possível, no seio e na plenitude da sua família.
Lembrem – se que, na vida material, quase tudo passa e as poucas amizades persistem, sem quaisquer interesses. Mas, é na família que começa e termina o porto seguro. Isso acontece por causa do amor, do afeto e da busca pela compreensão dos conflitos naturais.
Existe um motivo da família ser uma obrigação e ter a falsa idéia de que é optativo ao ser humano, tendo em vista que, se não fosse assim, agiriamos como a maioria dos animais, quando o assunto se torna tema da separação natural das gerações, ora pelas oportunidades, ora pelas imposições, ora pela própria vida ou pela morte.
No mais, meu caro leitor: – Ame. Abrace seus pais, beije seus irmãos, converse e brinque com os mais velhos. Seja fiel e educado com seu próximo, mesmo quando o mesmo o ignora ou não lhe demonstre importância. Retribua ao mundo sua existência, com carinho, afeto e amor. No final, verás o milagre acontecer diante dos seus olhos, sem a necessidade dos livros de autoajuda, das escolas, das universidades, com seus doutores e livros técnicos, porque a família e seus valores são 0  início e  o fim das coisas. Ela é divina e deve ser honrada, principalmente diante dos horrores evidentes no mundo.

Terminarei, afirmando que não tenho dúvida da existência de Deus, bem como que o mundo está muito melhor do aparenta ser. O problema é que o bem está trabalhando calado, enquanto que a caridade não deve fazar propaganda para aparecer. E, como a luz do sol que te aquece todos os dias, independentemente da sua ou da minha vontade, o calor do bem e da caridade se manifestam as 24 horas do dia, nos 07 dias da semana, todos os anos das nossas vidas, através dos valores, emoções, sentimentos e atitudes que recebemos e retribuímos. Logo, lembre-se que o mundo não está doente, mas considerável parte da humanidade.

Afastar-se da família e da compreensão da caridade, é o mesmo que se afastar da própria humanidade e do princípio divino de que tudo tem seu momento certo, tanto no tempo quanto no espaço, com profundidade, gravidade e responsabilidade.

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior:.

tipos-de-cancer-com-maior-ocorrencia-no-brasil

Aprendendo a vida através do câncer.

Há algo no câncer que é terrível, mas também é mágico, pois a pessoa passa a ver a vida de outra forma, além de ter “o tempo” para acertar suas pendências. Acredito que, tavlez, essa seja uma das maiores oportunidades na existência humana, quando vivemos com a falsa ideia de imortalidade. Ao contrário das pessoas que morrem rapidamente por causas diversas, o câncer dá um tempo relativo para que seu portador possa repensar sua existência e seus hábitos. Caso o mesmo seja praticante de alguma religião, a transição da doença, independentemente da vitória ou não, lhe dará a oportunidade de colocar todos os ensinamentos e princípios em prática ou questionamento.

Por que estou tocando nesse assunto e nesse exato momento? – Simplesmente, porque meu pai está lutando contra o câncer nos últimos 03 anos. Cada vez que eu vejo seu sorriso, sinto seu abraço ou fico admirado com tamanha glória, fé e resistência, eu aprendo. A maioria vê o paciente magro e doente. Eu vejo um homem que quer viver e que demonstra sua crença na vida e na espiritualidade, constantemente.

Aliás, meu pai gostava de dizer a seguinte frase: “Não deixarei nada de herança para ninguém.” Hoje, vendo sua luta pela vida, tenho orgulho em afirmar que ele me deixou uma herança maior do que qualquer tesouro material, que foi, justamente, sua fé na espiritualidade, no mundo espiritual e nas regras da ação e reação. A soma de tais valores me tornou o Homem que sou, e me permitiu ter acesso ao conhecimento universal de forma indescritível, diante da concepção de verdade das organizações humanas.

Não importa qual será o final desta jornada, porque eu me lembrarei, sempre, do homem que sugurou minha mão, quando era criança, e me ensinou tudo que sei.

Por fim, gostaria de compartilhar que minha crença no Deus único e nas suas Leis não foi abalada. No mais, nunca é tarde para se recomeçar e aprender, porque a morte é uma grande ilusão, por mais que o mundo nos  diga o contrário.

 

Nadelson Costa Nogueira Junior